Ao menos 15 crianças morrem em explosão no Afeganistão

·2 minuto de leitura
Afeganistão

Pelo menos 15 crianças morreram e outras 20 pessoas ficaram feridas nesta sexta-feira (18), em uma explosão perto do local onde participavam de uma cerimônia religiosa, na província de Ghazni (leste) - informaram fontes locais.

"Quinze crianças morreram", afirmou Waheedulah Jumazada, porta-voz do governador da província.

Mais cedo, ele havia informado que uma moto com explosivos foi detonada perto do grupo no distrito de Gilan, nesta província.

Segundo Jumazada, a área onde ocorreu a explosão está sob controle dos talibãs.

Os talibãs e o exército afegão se enfrentam com frequência na província de Ghazni. No final de novembro, ao menos 30 soldados morreram em um atentado suicida com carro-bomba contra uma de suas bases.

O Afeganistão vive uma nova onda de violência e os talibãs realizam ataques quase diariamente contra as forças do governo, principalmente nas áreas rurais, apesar das negociações de paz que estão se desenvolvendo em Doha, capital do Catar, desde setembro.

- Negociações de paz interrompidas -

As negociações foram suspensas até 5 de janeiro. Ambas as partes ainda precisam chegar a um acordo sobre a pauta das discussões.

Os Estados Unidos, em virtude de um acordo separado concluído com os talibãs em fevereiro em Doha, aceitou retirar todas as suas tropas do Afeganistão antes de maio de 2021 em troca de garantias de segurança e do compromisso dos insurgentes de iniciar negociações com o governo de Cabul.

Os ataques dirigidos a personalidades - jornalistas, políticos, religiosos ou defensores dos direitos humanos - também aumentaram nos últimos meses.

Esses ataques não costumam ser reivindicados, mas o governo afegão acusa os talibãs, que também são acusados de tentar ganhar vantagem na mesa de negociações com essa violência.

A capital afegã também foi palco recentemente de ataques sangrentos, reivindicados pelo grupo jihadista Estado Islâmico, que deixaram várias dezenas de mortos.

Entre janeiro e setembro deste ano, mais de 2.100 civis morreram e mais de 3.800 ficaram feridos no país, de acordo com a missão da ONU no Afeganistão.

O presidente afegão, Ashraf Ghani, pediu que a próxima rodada de negociações ocorra em Cabul, argumentando que era inadequado se reunir em "hotéis de luxo" em Doha.

Negociadores talibãs estavam no Paquistão nesta sexta-feira para se reunir com o primeiro-ministro, Imran Khan, que defendeu uma redução da violência e um cessar-fogo.

str-mam-jds/ecl/leg/bl-jz-bc/jvb/aa/mvv