Ao menos 33 mortos na Índia na passagem do ciclone Tauktae, que paralisa vacinação contra covid

·3 minuto de leitura

Ao menos 33 pessoas morreram e quase cem estão desaparecidas nesta terça-feira (18) devido ao impacto do ciclone Tauktae na Índia, que registrou o maior número de mortes diárias pela pandemia da covid-19 no mesmo dia.

Centenas de milhares de pessoas ficaram sem energia depois que o ciclone atingiu a costa de Gujarat, no oeste da Índia, na noite de segunda-feira, deixando um rastro de morte e destruição.

Ventos de até 180 quilômetros por hora danificaram casas e derrubaram linhas de energia e milhares de árvores, bloqueando estradas e impedindo o socorro de chegar às áreas afetadas, disseram as autoridades.

"Nunca experimentei tanta intensidade em minha vida", afirmou um funcionário de um hotel da cidade de Bhavnagar. "Foi uma noite no escuro, a energia elétrica foi cortada os ventos não parava. Foi aterrorizante", acrescentou.

O primeiro-ministro regional, Vijay Rupani, indicou que o número de mortos aumentou para 33, principalmente devido ao colapso de paredes ou tetos.

O chefe do governo indiano, Narendra Modi, deve visitar as áreas atingidas pelo ciclone em Gujarat, seu estado natal, na quarta-feira.

Ao mesmo tempo que o ciclone, a Índia registrou 4.329 mortes e quase 280.000 infecções por covid-19 nas últimas 24 horas, o maior número diário até agora. No total, a pandemia deixou mais de 250.000 mortes.

- Naufrágio -

Os cerca de 90 desaparecidos viajavam em uma embarcação que naufragou com 273 pessoas a bordo na costa de Mumbai, capital do estado de Maharastra, anunciou a Marinha indiana.

Os militares informaram que 180 passageiros foram resgatados em condições extremamente difíceis.

O ciclone mais poderosos a afetar a região oeste da Índia em décadas provocou vítimas nos estados de Kerala, Goa, Maharashtra e Gujarat.

"Nunca havia observado um ciclone tão devastador como este em Mumbai", declarou à AFP Anand Shinde, habitante da megalópole financeira.

Os fortes ventos derrubaram casas improvisadas, assim como árvores e torres de energia elétrica.

O ciclone devastou o oeste indiano e as ruas se transformaram em rios, o que provocou a fuga de centenas de milhares de pessoas.

O ciclone varreu o oeste da Índia, cuja costa estava submersa, transformando ruas em rios e forçando centenas de milhares de pessoas a fugirem. Maharashtra retirou quase 12.500 pessoas das áreas costeiras.

Em Gujarat, mais de 16.500 casas foram danificadas, 40.000 árvores arrancadas e 2.400 vilarejos ficaram sem energia elétrica.

As autoridades de Gujarat tentam evitar os cortes de energia nos 400 hospitais e fábricas de oxigênio da costa.

- Pacientes de covid-19 transferidos -

No domingo, 580 pacientes de covid-19 foram transferidos de três hospitais de campanha para locais mais seguros.

Em Gujarat onde todos os pacientes de covid-19 hospitalizados em um raio de menos de cinco quilômetros da costa foram transferidos.

O estado de Gujarat, que registrou até o momento 9.000 mortes por covid-19 (um número oficial provavelmente subnotificado como em todo o país, segundo os especialistas) suspendeu a campanha de vacinação durante dois dias.

Mumbai fez o mesmo por um dia.

bur-lth/pz/zm/mis/fp/ap/jc

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos