Ao menos 7 morrem em acidente com ônibus em Marechal Cândido Rondon, no PR

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um acidente com um ônibus da Secretaria de Saúde de Pato Bragado, cidade no oeste do Paraná, deixou ao menos sete mortos na manhã desta segunda-feira (2), na altura de Marechal Cândido Rondon. O veículo transportava pacientes para atendimento médico em Cascavel.

Treze pessoas foram hospitalizadas, sendo duas em estado mais grave, de acordo com a Prefeitura de Pato Bragado. No total, 19 passageiros, além do motorista, estavam no coletivo que passava pela BR-467.

De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, o ônibus seguia pela rodovia quando, por volta das 5h30, colidiu com a lateral de um caminhão, saindo da pista e caindo em um barranco até bater contra uma árvore. No momento da queda, o ônibus passava pelo distrito de Iguiporã.

Ainda segundo os policiais, o condutor do caminhão fugiu com o veículo do local do acidente. No entanto, parte da carga de milho que transportava ficou espalhada pela margem da estrada e também foi encontrada dentro do ônibus, o que facilitou posteriormente a localização do veículo e do motorista.

Durante as buscas, a polícia foi acionada pelo funcionário de uma cooperativa da cidade de Santa Helena (PR), que relatou que um motorista de caminhão de milho chegou à balança muito nervoso e com pressa para descarregar.

Os policiais montaram bloqueios na região, até que o caminhão e o condutor fossem localizados em Mercedes (PR). O motorista foi levado à delegacia de Marechal Cândido Rondon e, segundo a polícia, confirmou ter se envolvido no acidente. Ele permanecerá preso sob suspeita de homicídio culposo e lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, além de fuga do local acidente.

"Esses crimes não são possíveis de arbitrar fiança, então, ele ficará recolhido na cadeia pública e à disposição da Justiça", declarou o delegado Rodrigo Baptista.

Ainda conforme o delegado, o motorista afirmou que um outro caminhão invadiu sua pista. Ele então teria desviado e invadido a pista contrária, esbarrando em um outro veículo que vinha logo atrás.

"Ele alega que parou cerca de 300 metros à frente e que não visualizou nenhum tipo de acidente, apenas que sua lona estaria cortada e que havia perdido um pouco da carga de milho. Sendo assim, seguiu viagem normalmente", relata o delegado.

VÍTIMAS

Entre as sete vítimas está o motorista do ônibus, Cesar Roberto Schaeffer. Ele era servidor do município e foi vereador e secretário de Esportes. O prefeito Leomar Rohden (MDB), que prestou solidariedade às famílias em um vídeo nas redes sociais, diz que ele será velado no ginásio esportivo.

De acordo com a prefeitura, também morreram Lurdes e Fabiane Monteiro, mãe e filha, Nelson Ditz, João Szczuk, Ivone Carmen Gentilini e Claci Inês Werlang. Procurado, Rohden informou que a prefeitura se prepara para realizar o velório coletivo dessas vítimas.

Segundo o amigo Luiz Grando contou à reportagem, Lurdes embarcou no coletivo porque faria uma consulta. Já a filha, Fabiane, seguia como acompanhante da mãe.

Grando, que foi prefeito da cidade de Pato Bragado, conta que conhecia outros passageiros. "Muita tristeza. É um município pequeno, todo mundo conhece todo mundo. Então, são pessoas com quem eu convivi durante muitos anos", declarou.

Os feridos que estavam no ônibus foram encaminhados para hospitais da região, sendo a maior parte para a UPA (Unidade de Pronto-Atendimento) de Marechal Cândido Rondon. Um helicóptero do governo do Paraná foi acionado para ajudar na remoção dos pacientes.

De com a gestão municipal, a Secretaria de Saúde "mantém contato com os familiares das vítimas na Unidade Básica de Saúde Albino Edvino Fritzen, repassando mais informações e esclarecimentos e, acima de tudo, prestando todo apoio necessário".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos