Ao ser questionado sobre o que falaria a americanos assustados, Trump acusa repórter de sensacionalismo

DIANA LOTT

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, acusou nesta sexta-feira (20) um repórter de fazer sensacionalismo. Peter Alexander, da emissora NBC, perguntou ao líder o que ele diria aos americanos que estão assustados por causa da pandemia do coronavírus.

"É possível que seu impulso de dar uma visão positiva para as coisas possa estar dando aos americanos neste momento um falso senso de esperança e dando a entender que estamos preparados?" Alexander perguntou durante uma coletiva de imprensa na Casa Branca.

"Não, acho que não", respondeu Trump. "Que pergunta agradável."

Trump defendeu sua forma de combater a pandemia e seus comentários sobre a crise.

"Quase 200 mortos, 14.000 doentes. Milhões, como você viu, que estão assustados agora. O que você diz aos americanos que estão assistindo você agora e que estão assustados?"

"Eu digo que você é um péssimo repórter", respondeu Trump. "Eu acho que essa é uma pergunta muito desagradável. E acho que você está dando um sinal muito ruim ao povo americano. "

"Você está fazendo um sensacionalismo", continuou Trump, criticando a NBC e chamando sua empresa-mãe, Comcast, de "Con-cast" --algo como "transmissão trapaceira".

"Você deveria ter vergonha de si mesmo", acrescentou o presidente.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, assumiu a coletiva de imprensa logo depois de Trump.

Alexander repetiu a pergunta. "Eu diria para não terem medo, mas ficarem vigilantes", respondeu o vice, que também pediu aos americanos que seguissem as orientações de saúde divulgadas pelo governo..

Pence foi designado por Trump para chefiar a equipe responsável pelo combate ao coronavírus.

Quando os primeiros casos da Covid-19 foram confirmados nos EUA, Trump minimizou a gravidade da pandemia, dizendo que o vírus era um problema exclusivamente chinês e que ele iria desaparecer.

No fim de fevereiro, o presidente afirmou que uma vacina estaria disponível "muito rapidamente" e elogiou as ações de seu governo, dizendo que foram "as mais agressivas adotadas por qualquer país".

No entanto, nos últimos dias, Trump mudou o tom de seu discurso. "Senti que era uma pandemia muito antes de a chamarem de pandemia", disse ele na terça-feira (17).*