Ao vivo: CPI da Covid ouve em instantes médica que deixou Ministério da Saúde em meio a crítica contra cloroquina

·1 minuto de leitura
luana-araujo.jpg

RIO - A CPI da Covid ouve em instantes a médica infectologista Luana Araújo, indicada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, para chefiar a Secretaria Extraordinária de Enfrentamento da Covid-19. Sua nomeação, porém, não foi efetivada pelo governo por Luana se mostrar contrária ao tratamento precoce contra o cotronavírus.

A médica, que comparou a hidroxicloroquina a um “neocurandeirismo”, como mostrou O GLOBO, deixou o cargo no Ministério da Saúde dez dias depois de ser anunciada. A saída, que não foi justificada pela pasta ou pela própria infectologista, teria sido motivada por pressões do governo no enfrentamento à pandemia, que não teriam sido aceitas por ela.

"O Ministério da Saúde informa que a médica infectologista Luana Araújo, anunciada para o cargo de secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19, não exercerá a função. A pasta busca por outro nome com perfil profissional semelhante: técnico e baseado em evidências científicas. A pasta agradece à profissional pelos serviços prestados e deseja sucesso na sua trajetória", diz a nota da pasta.

ASSISTA À SESSÃO DA CPI AO VIVO:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos