Ao vivo: CPI deve ouvir suposto lobista da Precisa Medicamentos

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — A CPI da Covid ouve nesta quinta-feira o depoimento de de Albernaz de Faria, que é apontado como um suposto lobista da Precisa Medicamentos. A empresa foi intermediária nas negociações para a compra da vacina indiana Covaxin, cujas irregularidades são investigadas pela comissão. Originalmente, quem estava marcado para ser ouvido hoje no colegiado era o do ex-secretário de Saúde do Distrito Federal Francisco Araújo Filho, mas, por uma troca na agenda, a oitiva foi adiada para sexta-feira. O depoimento de Marconny, no entanto, não está confirmado porque na tarde deq quarta-feira, ele enviou um atestado de que estaria internado no Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.

ASSISTA AO VIVO

Ao receber a informação, presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM) ligou para o hospital para saber como estava Marconny. A Secretaria da CPI mantém a previsão do depoimento para hoje. Caso o suposto lobista não compareça, a comissão pensa em trazer em seu lugar Andreia Lima, diretora da empresa VTCLog, ou antecipar o depoimento de Francisco Araújo Filho.

A comissão teve acesso a uma troca de mensagem entre Marconny e o ex-secretário da Anvisa José Ricardo Santana. Na conversa, Santana menciona que conheceu o suposto lobista da Precisa na casa da advogada do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido), Karina Kufa. A advogada foi convocada para prestar depoimento à CPI, mas ainda não há uma data marcada para isso.

Os senadores acreditam que Santana e Marconny teriam conversado sobre processo de contratação de 12 milhões de testes de covid-19 entre o Ministério da Saúde e a Precisa. Uma das mensagens trocadas aponta que “um senador” poderia ajudar a “desatar o nó” do processo. CPI da Covid: veja os principais acontecimentos na comissão até agora

Em depoimento ao colegiado, Santana disse não se lembrar do encontro. O relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL), citou então um diálogo travado entre eles.

"Marconny, foi um prazer te conhecer hoje na casa da Karina. Aliás, ela me passou seu telefone. Obrigado pelo bate-papo agradável. Se eu puder te ajudar em algo, conte comigo. Boa noite." Em seguida, o depoente, que já tinha dito conhecer Karina, alegou que apenas não se lembrava em que ambiente havia conhecido Marconny. Os senadores também perguntaram se Jair Renan, filho de Bolsonaro, estava no jantar, mas ele disse não se lembrar.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos