Aos 46 anos, Priscila persistiu e completou a graduação na quarta tentativa: “Quero inspirar as pessoas”

Redação Notícias
·2 minuto de leitura
Foto: Arquivo pessoal

É fácil falar sobre a importância da persistência para a realização de um sonho. Difícil é colocar em prática e, de fato, insistir na busca de um objetivo que já lhe causou alguma frustração. Não desistir, por mais que os percalços fossem grandes, foi o combustível para que Priscila Carreiro concluísse, aos 46 anos, seu primeiro curso de graduação após três tentativas que não deram certo.

Após receber as últimas notas do curso EAD do Senac em Processos Gerenciais, Priscila abriu o microfone na web-aula e deu seu depoimento, que emocionou os cerca de 30 colegas. Falou do orgulho que sentia, e fez questão de se dirigir aos estudantes que estavam no início do curso: “Você vai sentir vontade de parar. Na hora que você sentir essa vontade, lembra de mim. Eu me achava velha para cursar, tenho 46 anos. Se eu posso, todo mundo pode”.

A relação de Priscila com a vida acadêmica é marcada por tentativas e erros. A economia foi a primeira investida, influenciada pelo irmão mais velho que hoje é formado na área. Mas não era para ela. O direito lhe agradava, influenciada pelo pai e impressionada pelos eloquentes advogados retratados em filmes e séries de televisão. A realidade, porém, não estava à altura do que imaginou. De psicologia ela até gostava, apesar de algum muxoxo do pai, mas as dificuldades financeiras a impediram de seguir os estudos.

O estudo faz uma profissional melhor

Em paralelo às investidas, trilhou uma carreira de sucesso. Passou a liderar uma equipe de 18 pessoas em uma empresa que presta serviços de marketing para farmacêuticas no Brasil e no exterior. Foi quando topou com a grade curricular do curso EAD de Processos Gerenciais, do Senac. Viu que ali havia oportunidade de estudar temas que a fariam uma profissional ainda melhor.

No início, ia até o Senac, mesmo que as aulas fossem remotas. Em um desses momentos, quando se viu pensando em desistir mais uma vez (sentia-se velha para estudar), foi convidada a conhecer a sede do EAD do Senac e recebeu o acolhimento de que precisava. O conhecimento dos professores e a atenção dos tutores lhe deram o apoio para persistir.

Aos poucos, viu que cada conteúdo, cada disciplina, podiam de fato ser aplicados em seu dia a dia. E concluiu o curso com a emoção que demonstrou ao se manifestar na última aula, certa de que a persistência não serviu apenas para seu crescimento profissional, mas também para melhorar e dar exemplo para quem a cerca: “Quero ser uma líder melhor. Não posso crescer sozinha, não existe isso. A gente vive em sociedade. Quero inspirar as pessoas”.