Aos 51 anos, o galã Carlos Casagrande vive em Miami e trocou a TV pelo mundo dos negócios

A novela "Fina estampa" volta ao ar nesta segunda-feira e, com ela, voltam também alguns rostos que não são mais vistos na televisão, como o de Carlos Casagrande. Ex-modelo, ele fez sucesso como ator de novela, mas há quatro anos trocou o Brasil pelos Estados Unidos,  onde mudou de ramo e hoje é um homem de negócios. O EXTRA conversou com o galã de 51 anos, e pai de dois filhos,  sobre o retorno da trama ao horário nobre e sua vida no exterior.

 

Hoje você mora em Miami. Quando você se mudou e qual foi o motivo da troca de países?

Moro com minha mulher e meus dois filhos. Sou casado há 17 anos, e eu e a Marcelly já completamos 22 anos juntos. Moramos em Miami há 4 anos.  A  intenção era vir pra Miami como um período de experiência de 1 ano, eu queria morar fora com meus filhos um tempo. Eu morei em vários países sozinho, quando solteiro, durante minha carreira de modelo entre 1988 a 1998, eu queria pela primeira vez morar fora com filhos e dar a eles essa oportunidade. Porém......fui surpreendido por todos, esposa e filhos, que não queriam mais voltar pro Brasil. Realmente a sensação de segurança que se sente aqui, mais a temperatura, as praias, os canais cheios de barcos, me conquistaram também, então resolvemos ficar.

 

Além da carreira de ator, você ingressou no mundo dos negócios?

Desenvolvo projetos de construção para investidores, faço intermediação de negócios, sou sócio num complexo de restaurantes e bares localizado na Brickell, que acabou de inaugurar. Também tenho uma empresa de reformas de imóveis aqui em Miami.

Era uma faceta sua que você sempre quis explorar? Enfrentou dificuldades para se posicionar em outro ramo?

Na verdade eu já construí no Brasil, mas só isso. Foi depois que cheguei em Miami que surgiu a idéia da intermediação de negócios, conheço muitos empresários, investidores, gestores de fundos, todos procuram por oportunidades melhores de investimentos.

 

"Fina estampa" volta ao horário nobre nesta segunda-feira. Você, à época, interpretou Juan Guilherme. A novela fez muito sucesso. Que memórias você guarda do período das gravações?

Guardo muitas recordações e muito boas por sinal. Eu adorava a rotina de gravações. Eu sinto saudades do Juan, ele vive uma vida saudável, é educado, amigo, simpático, maduro, sensível, um cara bacana que curte a vida.

Você mantém contato com a sua turma de elenco, como Rafael Zulu, Guilherme Leicam, Tânia Kalil e Helena Rinaldi?

Não tive mais contato não.

Depois de anos de carreira, você continua sendo considerado galã. Como você encara isso e a sua relação com os cuidados e, claro, com o passar dos anos?

Fico lisonjeado, é bom e incentiva ainda mais meus cuidados. Eu levo a sério minha dieta, tão sério que já se tornou natural, não faço esforço nenhum porque já me habituei. Medito duas vezes  por dia, quando vou dormir e quando acordo. Treino todos os dias musculação e duas  a três vezes yoga.

 

Como você mantém a forma?

Sempre malhei, minha vida toda, em "Fina estampa" devo estar com o mesmo corpo que estou hoje. Treinar pra mim nunca foi uma paixão e sim uma obrigação profissional, mas depois de tanto tempo virou rotina.

Pensa em voltar a atuar na TV?

Se houver um convite por que não? Nossa! Só de perguntar já me deu vontade

E, para não fugir do assunto que toma os noticiários no mundo todo, como vocês tem se comportado, os cuidados tomados, frente a essa pandemia do coronavírus nos Estados Unidos?

Estamos com medo, ansiosos, tomando todos os cuidados e seguindo a quarentena como todo mundo.