Após 50 anos, Noruega se desculpa por lei que criminalizava sexo gay

·1 min de leitura
Primeiro-ministro da Noruega, Jonas Gahr Stoere

OSLO (Reuters) - O governo norueguês pediu desculpas formalmente aos gays nesta quarta-feira por uma lei que criminalizava as relações sexuais entre homens.

Cerca de 119 indivíduos foram condenados e enviados para a prisão entre 1902 e 1950 sob uma lei que foi abolida 22 anos depois, em 21 de abril de 1972.

Na véspera do aniversário de sua abolição, o primeiro-ministro Jonas Gahr Stoere disse que o governo estava emitindo um pedido oficial de desculpas pela lei.

"Através da legislação, mas também através de uma rede de sanções, nós, como nação e sociedade, deixávamos claro que não aceitávamos o amor queer. O governo deseja se desculpar por isso", disse Stoere.

A Noruega descriminalizou a homossexualidade em 1972. Permitiu uniões civis para casais do mesmo sexo em 1993, o segundo país do mundo a fazê-lo depois da Dinamarca. Os casamentos do mesmo sexo receberam status igual aos dos heterossexuais em 2009.

"Esta lei destruiu muitas vidas", afirmou a ministra da Cultura e Igualdade, Annette Trettebergstuen, que é lésbica, falando após o primeiro-ministro.

(Reportagem de Gwladys Fouche)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos