Após acompanhar Lula, Haddad vota em SP e diz que está otimista com resultado

SÃO PAULO, SP, 30.10.2022 - Voto do candidato ao governo de São Paulo Fernando Haddad, no Colégio Catamarã, no bairro de Moema, na zona sul de São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)
SÃO PAULO, SP, 30.10.2022 - Voto do candidato ao governo de São Paulo Fernando Haddad, no Colégio Catamarã, no bairro de Moema, na zona sul de São Paulo. (Foto: Zanone Fraissat/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Fernando Haddad (PT), candidato ao governo de São Paulo, votou na manhã deste domingo (30) no colégio Catamarã, em Moema, zona sul de São Paulo. O petista chegou acompanhado da mulher, Ana Estela, e do deputado federal Jilmar Tatto (PT), às 10h25. Mais cedo, ele acompanhou Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que votou em São Bernardo do Campo, na Grande SP.

"Eu estou otimista com os números da eleição nacional, otimista com a arrancada da última semana. A diferença caiu para metade. Temos tudo para ganhar a eleição, tanto em São Paulo quanto no Brasil", disse Haddad, que foi recebido, assim como no primeiro turno, por apoiadores do Grupo Prerrogativas, que cantavam músicas a favor do PT e distribuíram rosas vermelhas para os eleitores.

Ele falou ainda a respeito do comportamento da deputada federal bolsonarista Carla Zambelli (PL-SP), que sacou uma arma e apontou para pessoas em São Paulo, neste sábado (29).

"Acredito que temos uma oportunidade de deixar a violência de lado nesse país. Não tem cabimento o que aconteceu ontem, não tem cabimento o que aconteceu no Paraisópolis, não tem cabimento o que aconteceu com o Roberto Jefferson", lamentou Haddad que destacou que se tratam de episódios de violência que "sempre partem de um lado e nunca de nós".

Vestindo uma camisa branca, Haddad disse que a escolha da cor representa paz. "Precisamos de paz nesse país. O Brasil tem alternativas disponíveis. É um país rico em recursos que podemos desenhar qualquer futuro. Para que essa violência? Não há a menor necessidade disso"

O candidato disse que está com a consciência tranquila que fez uma campanha propositiva. "Estou muito animado, confiante, viva a democracia", afirmou durante conversa com os jornalistas.

De acordo com a última pesquisa Datafolha, divulgada na noite deste sábado (29), Tarcísio de Freitas (Republicanos) lidera a corrida para o Governo de São Paulo com 53% dos votos válidos, contra 47% de Fernando Haddad (PT).

O novo levantamento já capta eventual efeito do debate da TV Globo realizado na quinta-feira (27) com os dois candidatos ao governo paulista. Na rodada anterior, de 19 de outubro, Tarcísio tinha 55% de votos válidos, enquanto Haddad marcava 45%. Nos últimos dias, petistas se animaram com a diminuição da vantagem do candidato.

Haddad afirmou que caso eleito, tem uma equipe para que possa chegar em janeiro governando a partir do primeiro dia. "Quanto mais republicana a transição, mais poderemos fazer pelo povo de São Paulo."

Alguns eleitores se incomodaram com o tumulto e músicas dos apoiadores do candidato em frente ao colégio, reclamaram e xingaram. Os incômodos foram logo cessados.

No prédio em frente ao colégio, moradores com a bandeira do Brasil estendida na sacada responderam aos apoiadores tocando o hino nacional e o hino da independência em caixas de som. Também tocaram músicas como "Reunião de Bacanas", de Bezerra da Silva. Apoiadores do PT também entoaram o hino nacional fazendo o sinal de L com as mãos.

No primeiro turno, Tarcísio terminou à frente com 42,32% dos votos válidos, enquanto Haddad marcou 35,7%. O governador Rodrigo Garcia (PSDB), que terminou em terceiro numa derrota histórica para os tucanos, declarou apoio a Tarcísio e Bolsonaro.

Depois da votação, Haddad disse que vai para casa e deve se reunir com amigos para acompanhar a apuração da urna.