Após almoço com Lula, Belluzzo diz que novo governo petista vai conjugar crescimento e superávit primário

Depois de almoçar com o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva na tarde desta terça-feira, em um hotel da Zona Sul de São Paulo, o economista Luiz Gonzaga Belluzzo afirmou que o petista vai conjugar crescimento e superávit fiscal em seu futuro governo.

Marcelo Castro: Relator do Orçamento deve ser o responsável pela PEC da Transição

Mercadante: 'Quem anuncia o salário mínimo é o Lula'

— Ele vai reproduzir o que aconteceu no governo dele em que você teve crescimento de 4%, no geral, e superávit primário todos os anos — disse.

Belluzzo, que é amigo de Lula desde os anos 1970 e foi conselheiro ao longo dos primeiros mandatos do petista, ainda afirmou que considera normal as divergências entre os economistas que fazem parte da equipe de transição, como Pérsio Arida, um dos pais do Plano Real, e Guilherme Mello, professor da Unicamp.

— Esse governo vai ter essa característica de ter uma trajetória estabelecida e que, ao longo do tempo, vai sendo discutida — disse.

PEC da Transição: Equipe de Lula estuda tirar Bolsa Família do teto e pagar adicional de R$ 150 por criança já em janeiro

Belluzzo acrescentou também que a divergência “tem que fazer parte da formulação da política econômica”. O economista é seguidor da linha desenvolvimentista. Belluzo foi chefe da Secretaria Especial de Assuntos Econômicos do Ministério da Fazenda no governo Sarney (1985 a 1987) e secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de São Paulo no governo Quércia (1988 a 1990).

Nos governos de Lula, fez parte do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.