Após avanço da Ômicron, Anvisa recomenda ao governo rever restrição de entrada a países africanos

·1 min de leitura

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomendou ao governo brasileiro que reveja restrições de entrada impostas no final do ano passado a viajantes que tenham passado por seis país localizados na região sul do continente africano em razão do avanço da variante da variante Ômicron de Covid-19 em todo o mundo.

Em 27 de novembro, o governo havia seguido a recomendação da Anvisa e proibido a entrada no Brasil de passageiros vindos da África do Sul, Botsuana, Eswatini, Lesoto, Namíbia e Zimbábue, países que registraram os primeiros casos de transmissão da Ômicron.

Contudo, a agência defendeu em nova nota técnica a revisão dessa restrição ao argumentar que, recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) atualizou os dados sobre a variante e a identificou em 110 países.

A Anvisa, entretanto, recomenda que os viajantes que passarem pelos países africanos nos últimos 14 dias atendam às diretrizes definidas para demais viajantes com procedência internacional, de acordo com a portaria interministerial vigente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos