Após 'BBB 21': Israel e Rodolffo triplicam cachê e fecham réveillon por R$ 700 mil; Karol Conká é rejeitada por contratantes de shows

·1 min de leitura

Rodolffo pode não ter saído campeão do "BBB 21", mas está milionário do mesmo jeito. O cantor saiu fortalecido do reality e alavancou a dupla com Israel. Tanto que neste fim de ano, com a retomada de shows pós-pandemia, vai poder engordar ainda mais a conta bancária. Os sertanejos fecharam o réveillon (o local ainda não foi divulgado) por R$ 700 mil.

O valor dos sertanejos no mercado musical praticamente triplicou após Rodolffo virar um ex-BBB. Se antes, ele e Israel se apresentavam por R$ 80 mil, agora cobram cerca de R$ 300 mil por cachê fechado ou R$ 120 mil de garantia mínima. Entenda: os dois não saem de casa por menos que esse valor. Caso a venda de ingressos, ou seja, a bilheteria der mais que a garantia mínima, eles levam os R$ 120 mil mais o que deu, o que pode até ultrapassar os R$ 300 mil. Israel e Rodolffo estão estourados em grande parte da região Norte e Nordeste. O que não se via antes do ex de Rafa Kalimann ir para a TV.

Mesma sorte não teve Karol Conká, como se sabe. Após seu cancelamento nas redes sociais e uma rejeição recorde na história do reality show no mundo, ela parece ter se tornado muito mais uma personalidade da mídia do que uma cantora de rap.

Aos poucos, a artista voltou a ganhar seguidores, fechou contratos publicitários, mas show mesmo, que é bom, nada. "Os contratantes não querem associar o evento deles à imagem dela, porque têm muito medo da reação do público. Mesmo que a gente ofereça, eles nem querem saber quanto é", conta um produtor. Antes da pandemia e do cancelamento os shows de Karol Conká custavam R$ 40 mil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos