Após caos no trânsito a caminho das praias, Operação Verão é intensificada em Niterói

·2 min de leitura

NITERÓI - Com registros de altas temperaturas, o primeiro fim de semana do verão foi marcado por extensos engarrafamentos nos acessos às praias da cidade. O ápice do caos no trânsito ocorreu no domingo passado. Além das longas retenções, em diversos pontos foram flagradas irregularidades em desacordo às regras de trânsito, como estacionamento em calçadas e ciclovias. A caminho da Praia de Itaipu, por exemplo, carros eram estacionados em cima de calçadas na altura da 81ª DP. Alegando que terá tolerância zero com esse tipo de infração, a prefeitura prometeu, a partir deste fim de semana, intensificar a Operação Verão iniciada em novembro, aumentando o número de agentes e reboques nas ruas.

De acordo com o presidente da NitTrans, Gilson Souza, o fluxo de veículos nos acessos às praias no último domingo foi 40% maior do que o comum no mesmo período, em anos anteriores, desconsiderando 2020, devido à pandemia. Para intensificar a Operação Verão, serão destacados mais 50 homens por dia nas ruas. O contingente nos fins de semana será ampliado de cem para 150 homens, incluindo agentes e operadores de trânsito, guardas municipais e fiscais de transporte. Já com relação aos reboques, o número será dobrado. Se no fim de semana passado eram quatro circulando diariamente, agora serão oito.

— Fomos surpreendidos por um grande volume de veículos a caminho das praias. A média em um domingo de verão é de 20 mil veículos por dia, e no domingo passado foram cerca de 28 mil veículos. Não sei se por conta de férias coletivas, tivemos uma demanda represada que não esperávamos, mas vamos trabalhar no reforço dessa operação a partir de agora. Niterói recebe visita de municípios vizinhos, é uma cidade hospitaleira, mas as pessoas precisam entender que é preciso respeitar as regras de trânsito. Percebemos que muitas pessoas não estão respeitando, parando em cima de ciclovia, calçada, em frente a portões. Queremos receber as pessoas, porém elas precisam seguir as regras — diz o presidente da NitTrans.

Segundo ele, a prefeitura não vai tolerar irregularidades. Os motoristas serão multados e seus carros, rebocados. Ele informa ainda que a comunicação, pelo Twitter e nos painéis eletrônicos, será intensificada.

— Acreditamos que esse conjunto de ações vai melhorar a fluidez, mas existe uma questão física que não podemos controlar. Dois corpos não ocupam o mesmo espaço. Se as pessoas não encontrarem vagas, terão que retornar ou procurar outro lugar — afirma.

Proprietário de uma casa em Itaipu e membro de grupos de ambientalistas da Região Oceânica, o engenheiro eletrônico Luis Fonseca discorda que o problema no trânsito seja provocado apenas por desrespeito de visitantes:

— É triste ver a prefeitura acusar os moradores de municípios vizinhos pelos engarrafamentos na Região Oceânica. Parece que a população de Niterói não vai às praias ali. É tapar o sol com a peneira para esconder os problemas das obras feitas. Uma Transoceânica gigante e sem ônibus, enquanto carros dividem pistas com vários ônibus nas vias paralelas.

SIGA O GLOBO-BAIRROS NO TWITTER (OGlobo_Bairros)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos