Após confusão generalizada no Rio, jornalista, advogada e entregadores de pizza são agredidos por policiais, afirma OAB

·2 minuto de leitura

RIO — Uma mulher, um jornalista e entregadores de pizza foram agredidos por policiais do programa Segurança Presente, nesta quinta-feira, dia 3, no Largo do Machado, Zona Sul do Rio. Segundo a OAB, a advogada Vanessa Lima interviu em uma prisão que considerou arbitrária, quando um policial deteu um entregador de comida por aplicativo. A instituição afirma que a mulher apresentou o documento de identificação da Ordem, mas teve suas credenciais arrancada da mão e pisoteada pelos agentes. Quatro pessoas envolvidas foram para a 9ªDP (Catete).

De acordo com a OAB, a comissão de Direitos Humanos da instituição acompanha o caso de perto. Em seu relato, Vanessa conta que os agentes determinaram que uma mulher furasse a fila e pegasse a bicicleta na frente dos entregadores, o que gerou uma reação deles contra os policiais. A advogada, então, tentou meediar a situação e se apresentou como integrante da Comissão de Direitos Humanos da OABRJ. No entanto, os policiais teriam a agredido, arrancado o documento da mão de Vanessa e pisoteado na carteira.

No relato, um jornalista que se envolveu na confusão também foi agredido pelos agentes e também levado à delegacia, junto da advogada e dois entregadores.

Segundo o presidente da OABRJ, Luciano Bandeira, as agressões físicas e verbais por parte dos policiais demonstra o despreparo dos profissionais e evidenciam um desrespeito ao Estado democrático.

— Ao jogar a identidade de uma advogada no chão e agredí-la, o policial militar agride toda a entidade e ignora os seus deveres. Esse tipo de conduta é inadmissível e tem que ser severamente punida — afirma.

A Polícia Militar, por sua vez, apresentou outra versão do fato. Segundo relatou em nota a corporação, um casal procurou os policiais do Laranjeiras Presente no início da tarde alegando que foram impedidos por entregadores de delivery de pegar uma bicicleta de aplicativo no Largo do Machado.

A equipe, continua a versão, foi até o local e verificou que os entregadores estavam ao lado das bicicletas esperando serem solicitados para entrega e não deixavam ninguém utilizar.

"Os agentes solicitaram que os entregadores se afastassem e permitissem o uso público da bicicleta. Segundo os policiais, outros entregadores foram se aglomerando e iniciou um tumulto. Os policiais foram desacatados e agredidos pelos entregadores. Durante a confusão um agente se machucou durante uma queda e foi levado para o Hospital Miguel Couto. Três pessoas envolvidas diretamente na confusão foram levadas para a 9ªDP (Catete), para prestarem esclarecimentos. Os dois entregadores foram autuados por lesão corporal, dano a patrimônio público e resistência e responderão em liberdade", completa o comunicado.

Para tentar reparar os danos aos entregadores de aplicativo, uma vaquinha foi criada com meta de R$ 2 mil reais. Até o momento, foi arrecadado R$ 1,3 mil.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos