Após contato com Pfizer, prefeitura do Rio terá que aguardar doses do Ministério da Saúde para vacinar crianças

·1 min de leitura

Depois de anunciar que compraria doses da vacina da Pfizer diretamente com a empresa para a campanha de vacinação de crianças de 5 a 11 anos de idade, a prefeitura do Rio vai ter aguardar o envio de doses pelo Ministério da Saúde.

Na semana passada, o prefeito Eduardo Paes disse que tentaria comprar as vacinas diretamente com a Pfizer depois de ter sido orientado pelo comitê científico do município, que recomendou que "todas as medidas sejam adotadas para implementar a campanha de vacinação em crianças, avaliando, inclusive, a eventual necessidade de compra direta dos fornecedores".

A prefeitura disse que entrou em contato com a Pfizer no dia 22 de dezembro para negociar a compra do imunizante e a empresa respondeu que prioriza programas nacionais de imunização e que já tem três contratos com o governo brasileiro. O mais recente, assinado no dia 29 de novembro, prevê a entrega de 100 milhões de doses para o país em 2022, inclusive com a nova versão da vacina para diferentes idades.

Para iniciar a campanha de vacinação das crianças, portanto, a Secretaria Municipal de Saúde afirma que aguarda o envio de vacinas pelo Ministério da Saúde. O uso da vacina da Pfizer contra Covid-19 em crianças de 5 a 11 anos foi aprovado pela Anvisa no dia 16 de dezembro, mas a versão é diferente em relação à vacina disponível para adultos na fórmula, rotulação e na diluição. A expectativa do Ministério da Saúde é de que a campanha de vacinação para essa faixa etária comece em janeiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos