Após críticas a Maurício, web resgata piadas homofóbicas de Felipe Andreoli

·2 min de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.11.2015 - O apresentador Felipe Andreoli durante a 15ª edição do Prêmio Jovem Brasileiro, no Palácio das Convenções Anhembi, em São Paulo. (Foto: Bruno Poletti/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 18.11.2015 - O apresentador Felipe Andreoli durante a 15ª edição do Prêmio Jovem Brasileiro, no Palácio das Convenções Anhembi, em São Paulo. (Foto: Bruno Poletti/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A web resgatou piadas homofóbicas feitas pelo apresentador do Globo Esporte Felipe Andreoli, 41, após ele criticar as falas homofóbicas do jogador de vôlei Maurício Souza, 33, que teve o contrato rescindido com o Minas Tênis Clube, na quarta-feira (27). 

Andreoli criticou Souza após a exibição de uma matéria do Globo Esporte, que mostrava o atleta justificando a sua saída o time foi devido a lacração da internet. 

"Maurício, homofobia não é opinião, é crime, cara, mata. Você fez essa ofensa nas redes sociais que você tem mais de 300 mil seguidores. Depois, foi pedir desculpa em uma que você tem 50? Atitude covarde, hein?", disse Felipe no programa. 

"Outra coisa, essa questão não é política. Você não foi demitido do Minas porque você é conservador, de direita ou religioso, nem por causa da 'lacração da internet'. Você foi demitido porque você foi homofóbico e, pelo jeito, não se arrependeu. Homofobia é crime e não se respeita". 

Os internautas resolveram expor posts antigos do apresentador nas redes sociais. "Já que tem que expor, vamos expor até cansarmos", escreveu um deles. Outra pessoa publicou no Twiter trecho de um vídeo da época que ele era repórter do CQC e fazia uma reportagem no São Paulo Fashion Week. Ela questionou porque ele não é demitido. 

Nesta sexta-feira (29), Andreoli usou as redes sociais para se defender dos ataques. Ele disse que tem orgulho de ter aprendido, estudado a ponto de poder lutar e combater no lado certo. "O Andreoli de 2021 é muito diferente do de 2010. Eu quero aprender, o tempo todo. Cada vez mais. Eu estou aqui para mudar e para mostrar que faz parte da construção do ser humano. 

O apresentador falou que os prints do passado, o vídeo de ontem e os registros dele amanhã serão guardados para mostrar para seus filhos sobre o seu caminho humano, sobre o processo histórico que todos vivem. 

"Sim, o print é eterno. Coisas que foram ao ar, coisa que escrevi e falei estão documentadas. Absurdos. O que era considerado piada, hoje sabemos que mata. E por isso é crime. O mundo mudou, longe de ser suficiente." 

Há duas semanas, o jogador de vôlei manifestou seu descontentamento com o anúncio da DC Comics de que o novo Super-Homem, filho do Super-Homem original, vai se descobrir bissexual nas próximas edições dos quadrinhos. "Ah, é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar", escreveu o atleta. 

Os patrocinadores do Minas Tênis Clube pressionam a direção da equipe a tomar atitudes mais firmes contra Maurício Souza. O jogador de vôlei fez publicações homofóbicas em suas redes sociais e recebeu uma repreensão pública do time, mas essa censura foi considerada branda e tardia. Ele foi afastado do clube e teve o contrato rescindido.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos