Após críticas, Ministério da Saúde suspende mudanças no registro de mortes por Covid-19

RICARDO DELLA COLETTA E NATÁLIA CANCIAN
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Ministério da Saúde informou nesta quarta-feira (24) que suspendeu as alterações feitas no registro de mortes pela Covid-19. A pasta passou a exigir informações como CPF, número do cartão nacional do SUS e a nacionalidade de pacientes com Covid-19, o que fez o número de registro de óbitos despencar nesta quarta. "O Ministério da Saúde informa que foi suspenso o preenchimento obrigatório de alguns campos de identificação --número do CPF ou o número do Cartão Nacional do SUS, e se o cidadão for de nacionalidade estrangeira -- no Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe (Sivep-Gripe), onde é feita a notificação de casos e óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por covid-19 hospitalizados", afirmou a pasta em nota. De acordo com o ministério, a suspensão das exigências foi realizada após pedido do Conass (conselho que reúne os secretários estaduais de Saúde) e do Conasems pela "ausência de comunicado aos estados e municípios em tempo oportuno". O governo de São Paulo foi o primeiro a detectar o problema. O jornal Folha de S.Paulo publicou, no entanto, que ele alcançou todo o país. Um técnico do Ministério da Saúde confirmou as informações à Folha de S.Paulo e disse que houve um problema de instabilidade reportado ao Datasus, que cuida do sistema de informações da pasta.