Após crise da Americanas, CVM pede explicações sobre risco sacado a nove varejistas e atacadistas

Após inconsistências contábeis nos balanços de Americanas referentes a operações de risco sacado terem vindo à tona, deixando apreensivos de acionistas a fornecedores, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) resolveu pedir explicações outras nove varejistas e atacadistas.

A novela da Americanas: Veja tudo que você precisa saber sobre a crise na empresa

Crise: BNDES procedeu cobrança de fianças bancárias de Americanas

O objetivo da autarquia é entender como as empresas de capital aberto gerenciam os pagamentos aos seus fornecedores e como registram isso no livro caixa da empresa, para poder reforçar a fiscalização e evitar problemas semelhantes.

Em nota, a CVM declarou que “no âmbito de sua esfera de competência, sempre que necessário, realiza interações com os participantes do mercado de capitais a fim de solicitar informações importantes para trabalhos de análise e supervisão. Neste sentido, a Superintendência de Relações com Empresas (SEP) da CVM encaminhou consulta a companhias abertas a respeito do tema objeto de seu questionamento”.

Americanas: o sonho grande que deu errado?