Após decisão do STF, Bolsonaro diz que Constituição prevê independência entre os Poderes

Daniel Gullino, Gustavo Maia e Marco Grillo
O presidente Jair Bolsonaro ao lado da primeira-dama Michelle Bolsonaro posse de novos ministros

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quarta-feira a independência entre os Poderes. A declaração ocorreu horas após o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), barrar a nomeação de Alexandre Ramagem para a direção-geral da Polícia Federal (PF).

Bolsonaro leu o artigo da Constituição que diz que o Executivo, o Legislativo e o Judiciário são "independentes e harmônicos entre si", dando ênfase na palavra "independentes", repetida duas vezes por eles.

Depois, afirmou respeitar as decisões do Judiciário, mas afirmou respeitar mais a Constituição:

— Respeito o Poder Judiciário, respeito as suas decisões, mas nós, com toda a certeza, antes de tudo, respeitamos a Constituição.

Bolsonaro ainda disse que Ramagem é um "homem honrado" e disse que "brevemente" sua nomeação para a direção da PF irá se concretizar:

— Tenho certeza que esse sonho meu, mais dele, brevemente se concretizará, para o bem da nossa Polícia Federal e do nosso Brasil.