Após delações da Odebrecht, STF cria força-tarefa para reforçar equipe de relator da Lava Jato

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, decidiu nesta segunda-feira criar uma espécie de força-tarefa para reforçar a equipe do relator da operação Lava Jato no STF, Edson Fachin, menos de uma semana após terem sido tornado públicas as decisões dele de abertura de 76 inquéritos a partir de delações de executivos da Odebrecht.

A decisão de Cármen Lúcia ocorre no dia em que ela se reuniu com Fachin para discutir providências em razão da nova leva de investigações no STF. A intenção da presidente do STF é criar um grupo para dar celeridade aos processos relacionados à operação Lava Jato.

O número de inquéritos da Lava Jato relativos à operação subiu consideravelmente após as novas investigações decorrentes das delações da Odebrecht, de 37 para 113.

Ainda não há maiores detalhes sobre o formato desse grupo criado pela presidente do STF.

(Por Ricardo Brito)