Após denúncia de agressão e homofobia a casal gay em boate, comissões da OAB divulgam nota de repúdio

Extra
·2 minuto de leitura
Casal diz ter sido vítima de homofobia e agressões em boate; homem afirma que dedos do pé foram quebrados
Casal diz ter sido vítima de homofobia e agressões em boate; homem afirma que dedos do pé foram quebrados

A Comissão de Diversidade Sexual e Gênero e a Comissão de Direitos Humanos da OAB São Gonçalo publicaram uma nota repudiando a agressão sofrida por um casal gay numa boate em São Gonçalo, na madrugada deste sábado. Os dois homens afirmam terem sofrido agressões por três seguranças no interior da casa noturna. Uma das vítimas teve três dedos do pé quebrado e a orelha direita quase arrancada. Já a outra vítima teve ferimentos pelo rosto. O caso foi registrado na 72ª DP (São Gonçalo).

Além dos ataques físicos, o casal ainda teria sido agredido verbalmente, com "uso de expressões de cunho homofóbico", destaca a nota conjunta das comissões, na boate Vinttage Club. No registro médico constam ainda laceração nos lábios e contusões em diversas partes do corpo. Uma das vítimas chegou a desmaiar.

Em entrevista ao "RJ TV", da TV Globo, uma das vítimas relatou a agressão. O casal estava deixando a casa noturna quando teriam sido impedidos de saírem pelo seguranças.

— A gente não sabe ao certo como começou tudo. Na verdade quando a gente tava saindo, meu namorado me chamou e falou "vamos sair". Já tava tendo uma briga lá fora, eu não sei se os ânimos já estavam alterados deles. Aí ele falou "ninguém vai sair". Foi tudo muito rápido. Me seguraram por trás e nisso que me seguraram por trás já começaram a bater nele. Deram um soco no ouvido dele, foi quando ele caiu. E começaram a bater nele. E aí eu vi aquilo, eu fui pra cima pra poder perguntar "porque vocês estão batendo nele, o que está acontecendo?". E aí foi quando eu também fui agredido — disse um dos homens.

Testemunhas relataram também ter havido ofensas. Tal ato, segundo as comissões em nota, configura "em compatibilidade com provas testemunhais e periciais que instruem o registro de ocorrência, não intui-se outro aspecto motivador senão a sexualidade das vítimas".

O casal está junto há cinco meses. Em entrevista ao "RJ TV", contaram já terem sido vítimas de preconceito por serem gays, mas nunca haviam sofrido violência física.

Em nota enviado ao G1, a Vinttage Clube afirmou que "repudia qualquer tipo de agressão e atitudes homofóbicas", e que a casa está "apurando todos os fatos e envolvidos para tomar as medidas adequadas". A reportagem do GLOBO ainda tenta contato com os responsáveis pela casa.

O caso foi registrado na 72ª DP (São Gonçalo). De acordo com a Polícia Civil, "diligências estão sendo realizadas para esclarecer o caso e identificar a autoria do crime".