Após disputa familiar, João Campos chora na posse, pede união e cita legado de Arraes

Manoel Ventura
·2 minuto de leitura
Luís Macedo / Câmara dos Deputados

BRASÍLIA — Ao tomar posse nesta sexta-feira como novo prefeito do Recife, João Campos (PSB) pediu união, lembrou do legado do avô Miguel Arraes e chorou ao citar o pai, Eduardo Campos, morto em 2014 durante a campanha para a Presidência da República.

— O mundo pede compromisso, ação, fé e união. Aqui é importante termos a maturidade de entender que união não quer dizer pensamento único. O que queremos é uma unidade de propostas construída no debate, com respeito às diferenças e na diversidade de vozes que formam todo o que somos — disse.

Campos assume o cargo aos 27 anos como o mais jovem prefeito da História do Recife depois de de uma das disputas mais acirradas do país. Ele derrotou a prima Marília Arraes (PT) com 56,27% dos votos.

Recheada de ataques e ofensas, a campanha resultou ainda no racha definitivo no clã de Miguel Arraes, patriarca da família, falecido em 2005. Filho do ex-governador Eduardo Campos, João acusou Marília de ter desrespeitado seu pai durante a campanha. A petista, por sua vez, acusou Renata Campos, mãe do candidato do PSB, de tutelar o filho numa possível gestão dos socialistas.

— Firmamos um compromisso com toda a população. Apresentamos ao Recife um conjunto de propostas, que traduzem o nosso amor pela cidade como também a esperança de que juntos iremos construir dias melhores — disse Campos, que chorou ao citar o pai Eduardo e a mãe Renata Campos.

O novo prefeito do Recife elogiou a gestão do ex-prefeito Geraldo Julio (PSB) no combate à pandemia de Covid-19 e disse que sua prioridade será a vacinação da população da cidade.

— O meu compromisso, com todo o povo do Recife, é de continuar enfrentando essa batalha contra o coronavírus com coragem. Jamais me omitirei enquanto houver vidas em risco. Não cairemos na armadilha da negação da ciência. A nossa primeira grande prioridade será a imunização da população. Lutaremos dia e noite, de forma ativa, pela vacina. Juntos, vamos terminar de vencer essa guerra — afirmou.

Campos disse ainda que pretende trabalhar para fortalecer a educação pública no Recife e que pretende fazer com que a cidade ocupe o primeiro lugar entre as capitais mais bem avaliadas na educação.