Após divórcio, Bill Gates poderá retirar Melinda do comando da Fundação Gates num prazo de dois anos

·1 minuto de leitura

SEATTLE, EUA — Bill Gates e Melinda French Gates às vezes referiram-se à fundação que estabeleceram juntos como seu "quarto filho". Se nos próximos dois anos eles não conseguirem encontrar uma maneira de trabalhar juntos após o divórcio, Bill Gates poderá retirar a ex-mulher do comando e terá a custódia total do empreendimento.

Essa foi uma das lições mais importantes de uma série de anúncios sobre o futuro da maior fundação de caridade do mundo feita na quarta-feira por seu presidente-executivo, Mark Suzman, ofuscando uma injeção de mais US$ 15 bilhões em recursos que serão somados aos US$ 50 bilhões anteriormente acumulado em seu patrimônio ao longo de duas décadas.

“Eles concordaram que, se depois de dois anos, qualquer um deles decidir que não podem continuar a trabalhar juntos, Melinda irá renunciar como co-presidente e curadora”, disse Suzman em uma mensagem aos funcionários da fundação na quarta-feira.

Se isso acontecer, acrescentou ele, Melinda "receberá recursos pessoais de Bill para seu trabalho filantrópico" separados da doação da fundação.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos