Após divulgação de vídeo, Moro diz que 'verdade foi exposta em vídeo'

·1 minuto de leitura
Jair Bolsonaro e o ex-ministro da Justiça Sergio Moro

BRASÍLIA - O ex-ministro da Justiça Sergio Moro afirmou na noite desta sexta-feira que a verdade foi 'exposta em video'. A mensagem, publicada em rede social, ocorre após a divulgação da gravação da reunião ministerial de 22 de abril, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), nesta sexta-feira.

"A verdade foi dita, exposta em vídeo, mensagens, depoimentos e comprovada com fatos posteriores, como a demissão do DIretor Geral da PF e a troca na superintendência do RJ", disse o ex-juiz no Twitter.

A gravação da reunião foi citada por Moro como prova de interferência do presidente Jair Bolsonaro na Polícia Federal. Ele mencionou o vídeo em seu depoimento à PF, após pedir demissão do Ministério da Justiça.

O interesse do presidente na superintendência da PF no Rio é um dos pontos principais da investigação. Moro pediu demissão após Bolsonaro exonerar o então diretor-geral da Polícia Federal Maurício Valeixo. E um dos primeiro atos do novo diretor-geral da PF, Rolando de Souza, foi trocar o diretor da PF no Rio.

Bolsonaro nega que, durante a reunião, tenha defendido a troca na direção da PF do Rio para evitar que familiares e aliados fossem prejudicados. Segundo o presidente, quando falou sobre troca em "sua segurança", ele se referia à segurança pessoal e de sua família no Rio.

O vídeo da reunião foi divulgado na tarde de hoje pelo relator do caso, ministro Celso de Mello. Na decisão, o ministro solicitou apenas supressão de poucos trechos relacionados a assuntos de Estado, em que havia menção a outros países.