Após dizer que brasileiros não valorizam ídolos, Kaká não aparece no velório de Pelé

Uma das ausências mais criticadas no velório de Pelé, entre segunda e terça-feira, em Santos, foi a de Kaká. Isso porque o ex-jogador da seleção está sendo cobrado por uma declaração dada há pouco tempo. Durante a Copa do Catar, realizada no fim do ano passado, ele afirmara que os torcedores brasileiros não valorizam seus ídolos e que Ronaldo Fenômeno, por exemplo, era tratado como "mais um gordo andando na rua".

O comentário foi resgatado por torcedores nas redes sociais, em meio à enxurrada de críticas a nomes do passado e do presente que não estiveram na Vila Belmiro para a despedida do maior jogador de todos os tempos, morto aos 82 anos na última quinta-feira. Os perfis de Kaká estão cheios de mensagens em tom crítico e irônico.

"Kaká, você disse que o brasileiro não valoriza os seus ídolos. Então. por que você não foi ao enterro do Pelé para nos dar o exemplo?", questionou um internauta.

Nenhum jogador da seleção brasileira pentacampeã do mundo em 2002 marcou presença no velório de Pelé. O EXTRA procurou a assessoria de Kaká para comentários, mas não teve o contato respondido.

Os dois únicos campeões do mundo presentes foram o ex-volante Mauro Silva, atualmente vice-presidente da Federação Paulista de Futebol, titular do time que levantou a taça nos EUA, em 1994, e Clodoaldo, companheiro de Pelé na seleção campeã em 1970 e também na era de ouro do Santos.