Após explosão de mortes pela polícia em outubro, índice tem queda de 45% em novembro

Giampaolo Morgado Braga
·3 minuto de leitura
Foto: Fabiano Rocha / Agência O Globo

Após um mês com 145 mortes em confrontos com a polícia — o segundo maior número de registros para outubro em toda a série histórica, iniciada em 1998 — o índice teve uma queda de 45% em novembro. O EXTRA teve acesso, com exclusividade, aos dados do Instituto de Segurança Pública (ISP) sobre a criminalidade no mês passado. Foram 80 mortes por intervenção de agente do estado, uma queda de 42% na comparação com o mesmo mês de 2019.

Leia também:

No acumulado de janeiro a novembro, foram 1.160 mortes por intervenção policial, 31% a menos do que os 1.690 casos no mesmo período do ano passado.

O ISP também registrou queda de 12% nos chamados crimes violentos letais intencionais entre os meses de janeiro e novembro de 2020, na comparação com o mesmo período de 2019. O indicador engloba as vítimas de homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte. É o número mais baixo desde 1999.

Os homicídios dolosos mantiveram a tendência de redução apresentada ao longo do ano. Houve redução de 11% entre janeiro e novembro, se comparado ao acumulado do ano passado, chegando ao menor patamar para o período desde 1991, quando teve início a série histórica do ISP para o índice.

Na última terça-feira, o Diário Oficial publicou um decreto do governador Cláudio Castro incluindo outra vez, a partir de janeiro de 2021, as mortes em confrontos no conjunto de indicadores do sistema de metas de criminalidade — que estabelece bônus salarial para os policiais que reduzirem os c rimes em suas áreas de atuação.

As mortes causadas por policiais haviam sido retiradas do programa de metas pelo governador afastado Wilson Witzel, também por meio de decreto, em setembro do ano passado. Em 2019, o índice foi o mais alto da série histórica: 1.814 ocorrências.

À época, o governo do estado justificou a retirada das mortes em confrontos do sistema de metas numa nota: “Atualmente, no país, 11 estados da federação trabalham com sistema de metas, dos quais agora apenas dois (São Paulo e Pernambuco) continuam computando as mortes por intervenção de agentes do Estado em suas metas”.

Ainda de acordo com a nota de setembro de 2019, as mudanças não alteram “o registro das mortes por intervenção de agentes públicos, que continuarão sendo divulgadas pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), assim como o indicador letalidade violenta”.

Outros índices

Roubo de cargas - O indicador também continua em queda no estado. O crime caiu 36% em novembro de 2020, na comparação com o mesmo mês de 2019. No acumulado dos 11 primeiros meses do ano, o declínio foi de 34% na comparação com 2019.

Roubo de veículo - Foram 23.127 ocorrências de roubo de veículo nos 11 primeiros meses de 2020 e 2.083 em novembro. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 37% em relação ao acumulado do ano e de 30% em relação a novembro de 2019.

Roubo de rua - O índice, que reúne os roubos a transeunte, de aparelho celular e em ônibus, teve 66.434 registros nos 11 meses de 2020 e 5.771 em novembro. Na comparação com o período de janeiro a novembro de 2019, o indicador apresentou queda de 41% em relação ao acumulado do ano e de 33% no confronto com novembro.

Latrocínio - O roubo com resultado morte teve 79 vítimas nos 11 primeiros meses de 2020. Em novembro, foram oito casos. Este é o menor valor para o acumulado do ano desde o início da série histórica em 1991. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou 33 mortes a menos em relação ao acumulado do ano e seis vítimas a menos em relação a novembro.