Após fala sobre fechar STF, Rosa diz que juiz não deve se deixar abalar

GUSTAVO URIBE E FÁBIO FABRINI

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Rosa Weber, disse neste domingo (21) que um magistrado que honra o seu papel não se deixa abalar por manifestações que possam ser compreendidas como inadequadas.

A declaração foi uma resposta a vídeo replicado nas redes sociais que mostra o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, dizendo que para fechar o STF (Supremo Tribunal Federal) "basta um soldado e um cabo".

O vídeo foi gravado no dia 9 de julho, em um cursinho de Cascavel, no Paraná. Eduardo Bolsonaro dava uma palestra para concurseiros que desejam ingressar na Polícia Federal.

"No Brasil, as instituições estão funcionando normalmente. E juiz algum no país, juízes todos no Brasil [que] honram a toga, se deixa abalar por qualquer manifestação que eventualmente possa ser compreendida como conteúdo inadequado", afirmou a ministra, em entrevista à imprensa. 

A magistrada disse ainda que teve conhecimento da declaração por sua assessoria de imprensa e que foi informada de que ela foi desautorizada posteriormente pelo presidenciável do PSL.

Segundo Weber, com base em dados da inteligência, não houve eventos significativos que indiquem alterações no processo eleitoral.

"Desde 2016, identificamos pequenas tentativas de influenciar, mas não houve incremento considerável neste ano do que houve em 2016", disse.