Após falar em 'finalzinho' da pandemia, Bolsonaro agora diz que ela 'veio para ficar'

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura

Menos de dois meses após falar que o Brasil estava vivendo o "finalzinho da pandemia" da Covid-19, o presidente Jair Bolsonaro mudou o tom e afirmou nesta quinta-feira que doença "veio para ficar". Bolsonaro disse que não adiantar ficar "lastimando" e que é preciso "lutar".

— Agora, é uma pandemia que veio para ficar. Não adianta ficarmos nos lastimando, fazendo placares daquilo que de ruim vem acontecendo. Vamos lutar, vamos vencer, vamos investir na nossa vacina — declarou o presidente, durante evento em Florianópolis (SC).

No dia 10 de dezembro, Bolsonaro afirmou que o Brasil estava "vivendo o finalzinho da pandemia". Naquela data, o país tinha 179.032 vítimas causadas pelo novo coronavírus. Agora, o total de mortes está em 227.592. Dez estados e o Distrito Federal apresentam alta nas mortes.

Também em dezembro, em entrevista gravada antes e publicada no dia 19, o presidente disse que a pandemia estava "chegando ao fim" e que havia apenas uma "pequena ascensão" ou "pequeno repique".

Nesta quinta-feira, Bolsonaro afirmou que lamenta "cada morte" ocorrida, independente da causa, mas disse que as medidas tomadas contra a pandemia não podem "causar mais mortes":

— Lamentamos cada morte havida no Brasil, não interessa a causa dela. Mas não podemos fazer com que medidas para conter uma pandemia no futuro venham causar mais mortes que o próprio vírus.

O presidente ainda disse que "o governo federal fez a sua parte" no combate à pandemia ao enviar recursos para estados e municípios. Bolsonaro estava sem máscara e causou aglomerações.