Após feriados antecipados, trânsito volta a subir na cidade de São Paulo

VICTORIA DAMASCENO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Um dia após o fim do recesso de dez dias criado pela antecipação dos feriados na cidade de São Paulo, o trânsito voltou a subir, segundo dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). A população também voltou para os ônibus da capital. Nesta terça-feira (6), com 1.389 vidas perdidas em um único dia, SP bateu um novo recorde de mortes em decorrência da Covid-19. No pior dia da pandemia no Brasil em 2020, em 29 de julho, o país inteiro teve 206 mortes a mais, com 1595 óbitos. O recorde anterior do estado no número de óbitos registrados em um dia foi de 1.209, da última terça (30). São Paulo acumula cerca de 2,5 milhões de casos e 78.554 óbitos. A letalidade no estado é de 3,1%, enquanto no país é de 2,6%. Na segunda-feira (5), a média de lentidão era de 28 quilômetros, valor quase seis vezes maior do que o registrado na segunda passada (29/03), quando o congestionamento foi de 5 quilômetros. Na semana anterior (22/03), a média havia sido de 15 quilômetros. Nos ônibus, foram 1,51 milhão de pessoas transportadas nesta segunda, contra 1,17 milhão na semana passada. Na segunda-feira anterior, o número de passageiros foi de 1,46 milhão. O recesso ocorreu entre os dias 26 de março (sexta-feira) e 4 de abril (domingo), com a antecipação dos feriados de Corpus Christi (3 de junho), Consciência Negra (20 de novembro), e o aniversário da cidade de 2022 (25 de janeiro), e a junção com a Semana Santa. O estado de São Paulo está na fase emergencial do Plano SP desde 15 de março. Prevista para acabar em 11 de abril, a etapa é a mais restritiva desde o início da pandemia e tem como objetivo aumentar o isolamento social para tirar a sobrecarga do sistema de saúde e frear a disseminação do coronavírus. A média de isolamento, no entanto, tem sido estável. O valor registrado nesta segunda foi de 43%, um ponto percentual a mais do que na semana passada, com 44%, e o mesmo valor da segunda anterior. Em comparação com a semana passada, houve queda na ocupação dos leitos de UTIs (unidades de terapia intensiva) reservados para tratar pacientes com Covid-19. Nesta segunda, 89,8% dos leitos estavam ocupados no estado, número menor do que os 92,2% registrados há uma semana atrás. Já a Grande São Paulo tinha ocupação de 89% nesta segunda. Na semana passada esse valor chegou a 91,8%.