Após fim de programa, MEC diz que vai manter tempo integral no ensino médio

ANGELA PINHO
*ARQUIVO* SALVADOR, BA, 27.09.2012: Colégio Estadual de Praia Grande, em Periperi. (Foto: Raul Spinassé/Folhapress)

MATA DE SÃO JOÃO, BA (FOLHAPRESS) - Após anunciar o fim do programa "Novo Mais Educação" e o início de convênios com faculdades para estender a jornada escolar, o Ministério da Educação afirmou que irá manter o fomento ao tempo integral no ensino médio.

Segundo o secretário de Educação Básica, Janio Macedo, a pasta vai liberar uma nova parcela de recursos para 1.024 escolas que receberam no ano passado, ainda no governo Michel Temer (MDB), verba para ampliar a jornada para sete horas diárias no nível médio.

Ele afirmou ainda que o efeito da iniciativa está sob avaliação e, a depender do resultado, o número de unidades beneficiadas pode aumentar. O país tem 20.379 colégios públicos com ensino médio.

Macedo afirmou ainda que está sendo construído um projeto-piloto para aumentar a jornada de quatro para cinco horas do 6º ao 9º ano. A quantidade de escolas será definida em conjunto com estados e municípios.

Segundo o secretário, os convênios com faculdades são uma opção para acelerar a adoção do tempo integral no país. Em troca, as instituições receberão um bônus na sua avaliação.

A alternativa será testada em um número inicialmente reduzido de localidades e depois, se aprovada, será ampliada. A ideia é que as horas adicionais que os alunos terão de aulas sejam integradas à grade curricular. 

"O Novo Mais Educação, apesar de ter um conceito positivo, não estava trazendo o resultado esperado", disse. 


EDUCAÇÃO EM TEMPO INTEGRAL

Como era

Escolas recebiam repasses para atividades no contraturno escolar 

Desde 2017, prioridade no uso da jornada extra era dada ao reforço em português e matemática

Como fica

Faculdades irão ceder espaços ociosos para receber alunos no contraturno

Em troca, receberão bônus nas avaliações oficiais de qualidade


GOVERNO BOLSONARO

Neste ano, o MEC não realizou repasses para apoiar redes públicas na criação e manutenção de alunos em tempo integral

Repasses para construção de creches, alfabetização e ensino técnico também foram afetados por cortes

R$ 5,8 bi

foi o contingenciamento de recursos na educação neste ano até agora, com impactos desde educação infantil à pós-graduação

10,9%

dos estudantes de ensino fundamental estavam em escolas integrais em 2018, segundo o Censo Escolar. Em 2017 eram 16,3%

10,3%

era a proporção de alunos no ensino médio integral em 2018, ano do último censo divulgado