Após gancho de cinco semanas, SP libera doses para 'sommeliers de vacina' nesta quinta

·2 minuto de leitura
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.06.2021 - Vacinação contra a Covid-19 na UBS Max Perlman, zona sul de São Paulo. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)
***ARQUIVO***SÃO PAULO, SP, 16.06.2021 - Vacinação contra a Covid-19 na UBS Max Perlman, zona sul de São Paulo. (Foto: Rivaldo Gomes/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após uma espera de quase cinco semanas desde que entrou em vigor em São Paulo a lei que colocou no fim da fila quem escolhesse a marca do imunizante contra a Covid-19, os chamados "sommelier de vacina" já podem voltar aos postos de vacinação a partir desta quinta-feira (19). Porém, segundo a Prefeitura de São Paulo, eles continuam sem poder escolher o fabricante.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, gestão Ricardo Nunes (MDB), 2.167 "sommeliers de vacina" estavam com o direito à vacinação suspenso temporariamente após assinarem o termo de recusa.

A ação acontece após a conclusão do cronograma de imunização da população adulta da cidade de São Paulo.

Segundo a secretaria, se a pessoa voltar a se recusar a tomar a vacina, não está prevista nenhuma punição. Porém, a pasta espera sensibilizar a população de que todos os imunizantes são eficazes contra a Covid-19.

A lei que regulamentou a medida, de autoria do vereador Carlos Bezerra Jr. (PSDB), foi sancionada pelo prefeito em 27 de julho, após a capital registrar diversos casos de pessoas que entravam na fila e ao saber o fabricante da vacina que seria aplicada, se retiravam do local e passavam de unidade em unidade até encontrar a marca que desejava tomar.

Ainda segundo a lei municipal, "aquele que for retirado do cronograma de vacinação por recusa do imunizante será incluído novamente na programação após o término da vacinação dos demais grupos previamente estabelecidos".

Além da cidade da capital paulista, outras cidades da Grande São Paulo, como Osasco, São Caetano, Campinas, São José do Rio Preto, São Bernardo, Embu das Artes, Jales e Urupês adotaram a mesma medida.

Vacinação Para a vacinação no município de São Paulo, é obrigatório apresentar documentos pessoais de identificação, preferencialmente CPF e cartão SUS, além de um comprovante de residência na capital paulista, que pode ser impresso ou digital. Se estiver em nome de outra pessoa, é necessário comprovar o parentesco com RG, certidão de nascimento ou de casamento, ou escritura de união estável.

O site De Olho na Fila mostra a movimentação nas unidades da rede de imunização da capital, com intuito de evitar longas filas de espera e aglomerações. Todos os endereços dos locais de vacinação estão disponíveis na página Vacina Sampa.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos