Após ganhar ministério, presidente do PL, condenado no mensalão, visita Bolsonaro

Natália Portinari
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA - Após a nomeação de Flávia Arruda (PL-DF) para o ministério da Secretaria de Governo, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, encontrou o presidente Jair Bolsonaro no Palácio da Alvorada na manhã desta terça-feira. A deputada assumiu o cargo nesta segunda-feira.

Segundo interlocutores de Valdemar, tratou-se de uma visita de cortesia motivada pela indicação da deputada do partido ao cargo. Valdemar Costa Neto foi condenado a sete anos e dez meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no mensalão.

No ano passado, Valdemar se aproximou do governo Bolsonaro e emplacou indicados na presidência do Banco do Nordeste e na diretoria do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Ele chegou a convidar Bolsonaro a se filiar ao partido.

Lideranças do partido vinham se queixando da ausência do PL na Esplanada dos Ministérios desde que o Republicanos indicou o deputado João Roma (BA) ao Ministério da Cidadania. O PP e o PL hoje são parte do núcleo duro da base do governo no Congresso.

No ano passado, o presidente do PL virou réu por peculato, corrupção passiva e fraude à licitação após denúncia do Ministério Público Federal (MPF). Costa Neto é acusado de participar de um esquema de superfaturamento nas obras de trecho da Ferrovia Norte-Sul (FNS).