Após 'Hino da vacina', MC Fióti vibra com novo pico de 'Bum bum tam tam': 'Saí do lixo ao luxo com essa música'

Leonardo Ribeiro
·3 minuto de leitura

Os memes com a Coronavac, vacina desenvolvida pelo Instituto Butantan, e a música "Bum bum tam tam", de MC Fióti continuam rendendo. O dono do hit vibra com um novo pico nos streamings e no Youtube graças ao título de "hino da vacina".

— Legal ver essa música ficando importante de novo. Graças a ela, fui do lixo ao luxo. Minha mãe não precisa mais ser diarista, trabalho que tinha para sustentar os seis filhos. Construí uma casa para ela e os meus irmãos. Saí de uma favela no Capão Redondo (em São Paulo). Vivo da música, ao lado da minha filha (Linda, de 1 ano e 7 meses) e da minha mulher (MC Bella). Invisto em imóveis... Estou muito feliz — diz Fióti.

"Bum bum tam tam" foi lançada em dezembro de 2017, a música se tornou o hit do carnaval do ano seguinte e conquistou o mercado internacional. Em setembro de 2018, uma nova marca: foi a primeira música brasileira a atingir 1 bilhão de views no Youtube. Ao EXTRA, o cantor confirmou que pretende lançar um remix, com a letra adaptada aos memes da vacina, para homenagear o SUS. Um dos trechos já está definido: "A vacina envolvente que mexe com a mente, de quem tá presente. A vacina saliente, vai curar muita vida e salvar muita gente. Vem com a vacina, tam. Vem com a vacina tam tam tam".

— Já estou falando com meus empresários. Meus fãs estão pedindo para fazer esta homenagem e 'pirei' quando vi que até o Instituto Butantan compartilhou a canção. Vamos transformar isso em algo maior. Estou com a letra completa, vou entrar em estúdio e fazer até clipe. Quero fazer uma homenagem ao Instituto Butantan e ao SUS.

Sem fazer shows desde o início da pandemia, o paulista confessa que teve desconfianças com a corrida mundial pela vacina, mas que nem por isso deixa de acreditar na eficácia das que estão disponíveis.

— Tive dúvidas, mas sou a favor de tomar. Precisamos disso, senão vamos vier reféns pelo resto da vida do coronavírus. Ele está travando a nossa vida. Eu não faço shows, há pessoas com dificuldades financeiras... Sou a favor da vacina.

MC Fióti cai na risada quando lembra que o único "problema" de "Bum bum tam tam" como hino da vacina é de que a injeção não é dada no bumbum e, sim, no braço.

— Pois é! É a maior ironia. (risos) Estou até aqui brincando sobre isso com meus amigos. Essa é uma música que mudou a minha vida da primeira vez e ela está virando importante de novo. Quero comprar um Chandon para comemorar.

Hit da vacina ‘furou fila’, mas cantor segue firme com mais lançamentos

MC Fióti já estava com o projeto de lançar dois clipes por mês no canal do Kondzilla no YouTube. As músicas foram compostas durante a pandemia. “Estava no ritmo casa-estúdio”, diz ele. Ter viralizado com o “hino da vacina” mudou seus planos.

— A vacina fura a fila, com certeza. Vai ser importante fazer essa homenagem.

Ao mesmo tempo, o cantor já tem outra música de trabalho no ar: “A favela tá lazer demais”, parceria com os MCs DR, Menor MR, Rhamon e Neguinho da BRC. O trecho cantando pelo dono de “Bum bum tam tam” cita mudanças financeiras em sua vida.

— Mas não tenho o iate (da letra). Espero um dia ter — diz Fióti, aos risos.

E há versos em que cita pessoas interesseiras que surgiram ao seu redor.

— Lembro bem daqueles que não estavam presentes no sufoco e agora se dizem amigos. Faz parte da fama. Mas ainda bem que sou treinado: consigo ver de longe a falsidade.