Após homenagem de Ludmilla, Valesca fala sobre ser referência no funk: 'Hoje enxergo a importância que tenho'

Rafael Nascimento
·2 minuto de leitura
Foto: Reproduçao - Instagram
Foto: Reproduçao - Instagram

Valesca Popozuda está grata por ser reconhecida por artistas que vieram depois e tem nela uma referência. Foi o que aconteceu na homenagem feita por Ludmilla em seu próximo trabalho, "Rainha da Favela", que também contou com a participação de outros nomes do funk como Tati Querbra Barraco, MC Carol e MC Katia. As gravações do clipe ocorreram na comunidade da Rocinha, na Zona Sul do Rio.

"Foi incrível! Vou confessar que me senti muito honrada. Essas meninas estão fazendo um trabalho lindo e reconhecer quem passou pelo caminho antes é muito bonito", elogia Valesca.

A intérprete de "Beijinho no ombro" acha divertido ser chamada de "rainha"; gosta da brincadeira. Ela, porém, reconhece a importância que construiu no gênero musical ao longo dos anos de carreira.

"Hoje em dia enxergo a importância que eu tenho dentro do movimento. Percebo que, naquela época, há 20 anos, a mulher era 100% marginalizada e 100% puta apenas por ir para um baile funk. O título de rainha é muito bom, eu gosto, acho divertido... Mas, na verdade, entendo que é um título de todas que ralaram lá atrás para o movimento hoje ser mais respeitado", opina a artista de 40 anos.

Sobre as gravações, sentiu-se em casa na Rocinha. Para ela, no entanto, houve apenas um porém: não pôde sair abraçando todo mundo que a encontrava por conta da proliferação do coronavírus: "Eu adoro, sou povão! Queria ter abraçado mais, beijado mais, porém o contato não pode ser como a gente gosta. Eu nasci em comunidade, então estava em casa."

Sobre o contato com as outras artistas, como Tati Quebra Barraco, Valesca diz que "não são melhores amigas", apesar de "adorá-la". Acredita, porém, que a partir da agora as duas vão estreitar ainda mais os laços.

"Eu não sou melhor amiga da Tati, mas a acompanho ela no Twitter e adoro! Ela é uma pessoa muito importante para o funk. Ela literalmente abriu as portas. Hoje em dia estamos no mesmo grupo. Eu a sigo nas redes sociais e quero ter mais contato com ela. A Tati é divertidíssima e autêntica. Acredito que, agora, vamos ter mais contato, sim", torce Valesca.

Sobre o próprio trabalho, ela conta que acabou de lançar, junto com o grupo Heavy baile, a música "Me come e some". Tem outra canção já pronta e um EP "engatilhado": "Em 2021 vou trabalhar o que eu não consegui trabalhar em 2020."