Após incêndio, bombeiros fazem trabalho de rescaldo em galpão perto de terminal de cargas do Galeão

No dia seguinte ao incêndio que atingiu um galpão do Terminal de Cargas do Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, o Corpo de Bombeiros permanece no local para o trabalho de rescaldo. Segundo a RIOgaleão, concessionária que administra o local, o incêndio foi completamente controlado, e os pousos e decolagens acontecem normalmente.

Incêndio: Galpão do Galeão corre risco de desabamento, avalia Corpo de Bombeiros

Não foi o 1º: Relembre outros incêndios em aeroportos do Rio; veja fotos

Nesta quinta-feira, a operação reúne mais de 60 militares de 13 unidades, assim como 13 veículos, segundo os bombeiros.

O incêndio começou no início da tarde desta quarta-feira e às 15h o Corpo de Bombeiros informou ter controlado o fogo, o que significava não haver mais risco de propagação. Mesmo assim, ainda depois do horário, era possível ver focos no galpão.

Incêndio no Galeão: 'Poderíamos ter sido acionados antes', diz porta-voz dos Bombeiros

A fumaça podia ser vista da Linha Vermelha, via localizada a menos de 300 metros do local, motivo pelo qual o Centro de Operações Rio chegou a pedir para que motoristas tomassem cuidado ao trafegar pela região.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, os brigadistas do Aeroporto não acionaram a corporação, que só foi informada por meio da imprensa e das redes sociais.

— A empresa tem brigada de incêndio, tem viaturas e profissionais capacitados. No momento em que eles observam que um princípio de incêndio deixou de ser um princípio e já pode ser um pequeno, médio ou grande, a orientação sempre é acionar o Corpo de Bombeiros, que vai atuar dominando a situação e eles vão atuar dando apoio — afirmou Fabio Contreiras, porta-voz do Corpo de Bombeiros, em entrevista à TV Record nesta quarta-feira.

Em nota, a corporação informou que "não foi acionada oficialmente para a ocorrência pela administração do aeroporto, via 193. Segundo relatos, a brigada de incêndio do Galeão tentou combater as chamas, sem o apoio da corporação, permitindo que o fogo se alastrasse". Depois de uma "busca ativa nas diversas mídias", pôde "chegar a tempo de isolar as chamas no local aonde iniciaram, afastando o risco de propagação para a área da Base Aérea".

Já segundo nota da RIOgaleão, não houve feridos e e haverá um levantamento dos estragos provocados pelo incêndio "assim que a área for liberada". A concessionária ainda afirmou que fez o "acionamento imediato" dos bombeiros e que "cumpre todos os protocolos de excelência de segurança operacional que regulamentam a atuação aeroportuária no país", além de reiterar "a importância da parceria com o Corpo de Bombeiros nas ações preventivas e nas de emergência".