Após inspeção, AstraZeneca diz que 29 milhões de doses de vacina são para UE e países mais pobres

Michel Rose e Francesco Guarascio e Emilio Parodi
·1 minuto de leitura
Frascos rotulados como de vacina da AstraZeneca contra Covid-19 em frente ao logo da empresa em foto de ilustração

Por Michel Rose e Francesco Guarascio e Emilio Parodi

MILÃO (Reuters) - A AstraZeneca informou nesta quarta-feira que cerca de 29 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 encontradas em uma inspeção em uma fábrica na Itália eram destinadas à União Europeia e para doações a países mais pobres por meio do programa Covax, coliderado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A pedido da Comissão Europeia, as forças de segurança italianas inspecionaram no fim de semana uma fábrica da Catalent em Anagni, perto de Roma, e encontraram o depósito de doses de vacinas, segundo o jornal italiano La Stampa.

O primeiro-ministro italiano, Mario Draghi, posteriormente confirmou a inspeção e disse que alguns lotes de doses foram apreendidos, enquanto dois lotes foram enviados para a Bélgica. Um lote pode conter um milhão de doses.

Uma enxurrada de reações à reportagem refletiu o nível de desconfiança na UE em relação ao laboratório anglo-sueco, que reduziu sua meta de abastecimento para a UE até o final de junho para 100 milhões, dos 300 milhões previstos em seu contrato com o bloco. As 29 milhões de doses encontradas seriam suficientes para vacinar 14,5 milhões de pessoas.

Nesta quarta-feira, a AstraZeneca disse que a maioria das doses na fábrica da Catalent era para a UE, e o restante para países mais pobres abastecidos pelo Covax.

"Não há exportações planejadas atualmente, exceto para os países do Covax. Há 13 milhões de doses de vacina aguardando a liberação do controle de qualidade para serem despachadas para o Covax", afirmou empresa.

As 16 milhões restantes serão enviadas para a Europa neste mês e em abril, acrescentou.