Após localizar propriedade, polícia busca por suspeitos que aparecem em vídeo com onças-pintadas mortas

RIO — A Polícia Civil do Mato Grosso localizou na quarta-feira a propriedade rual onde teria sido realizada a matança de três onças-pintadas. Um vídeo que mostra os animais mortos foi muito compartilhado nas redes sociais nos últimos dias. Segundo os investigadores, o dono da propriedade já foi identificado e deve prestar depoimento. Outros dois suspeitos envolvidos no crime e na gravação do vídeo fugiram e são procurados pela polícia.

A propriedade fica em uma área de difícil acesso no município de Cocalinho, a mais de 700 km de Cuiabá. No local, policiais encontraram a caminhonete que aparece na gravação, onde os animais feridos foram carregados.

Segundo a polícia, o crime ocorreu há mais de cinco dias, antes de um caseiro que recebeu os policiais começar a trabalhar no local.

Os suspeitos devem responder por crime ambiental. A pena inicial é de seis meses a um ano de prisão e multa, mas pode ser agravada. A onça-pintada é uma espécie vulnerável, mas esse status muda de acordo com o bioma. Na Caatinga, por exemplo, o animal está criticamente ameaçado de extinção.

O vídeo da matança foi gravado por um mulher. Ela narra que os animais foram mortos por um homem identificado como "rapicho", com a ajuda de dois cachorros. Ela chega a parebenizar o homem por matar os animais. Ele, por sua vez, diz que "ficou assustado" com os animais, e os encontrou em "uma árvore só".