Após Lula e Bolsonaro, Doria faz aceno a entregadores de aplicativo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 15.12.2021 - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante entrevista coletiva em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 15.12.2021 - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), durante entrevista coletiva em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O documento lançado pela equipe do governador João Doria (PSDB) nesta terça-feira (11) para se contrapor às posições econômicas até aqui apresentadas pelo PT inclui um aceno aos trabalhadores de aplicativos, que também tem sido cortejados por outros prováveis concorrentes à Presidência em 2022, como Lula (PT) e Jair Bolsonaro (PL).

No texto, o time de economistas que assina o documento defende a adoção de "medidas de proteção de empregados de aplicativos". O material também fala em instituir mecanismos para proteção dos informais da oscilação de renda.

Lula tem insistido nos últimos anos em tratar do tema das condições precárias de trabalho dos entregadores. Segundo pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o Brasil conta com 1,4 milhão de trabalhadores de aplicativos.

"O companheiro que está numa moto entregando pizza à 1h da manhã não é microempreendedor. Ele é quase um microescravo", disse, em 2020.

Um dos tópicos de discussão do PT com membros do governo da Espanha sobre a reforma trabalhista, inclusive, é a abordagem do problema na experiência europeia.

Bolsonaro, por sua vez, sancionou projeto de lei de autoria de Ivan Valente (SP), do PSOL, que prevê algumas medidas de proteção para entregadores de aplicativos durante a pandemia. A medida foi interpretada como tentativa de se aproximar dos entregadores de aplicativo.

Segundo pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), o Brasil conta com 1,4 milhão de trabalhadores de aplicativos.

Os entregadores chegaram a fazer protesto no ano passado pedindo taxas mais justas para as empresas de aplicativos e ajuda com itens básicos de proteção durante a pandemia de coronavírus.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos