Após ocupação, governo de SP recua e desiste de fechar escola em Barueri

MARIANGELA DE CASTRO

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo do Estado de São Paulo, sob gestão João Doria (PSDB), recuou após cinco horas de ocupação e decidiu manter a matrícula de todos os alunos que queiram permanecer na Escola Estadual Professor Lênio Vieira de Moraes, em Barueri, na Grande São Paulo.

A instituição foi ocupada na noite desta segunda-feira (16), por volta das 20h. Segundo estudantes, durante a madrugada seguinte, o diretor da escola, ao lado do secretário estadual da educação e professores da rede, foram até a ocupação para conversar com os alunos.

Às 3h40 desta terça (17), a Secretaria de Educação do Estado entregou um ofício aos estudantes da unidade, garantindo que a escola não será fechada.

O documento também diz que a secretaria se compromete a manter o ensino noturno na instituição, a matrícula de todos os alunos que queiram permanecer no colégio e o diálogo com os alunos, pais e comunidade. Porém, não detalha o que irá acontecer com o ensino matutino e vespertino da escola.

Ao receberem o ofício, os estudantes deixaram a ocupação ainda de madrugada. De acordo com Kaique Saldanha, 19 anos, integrante do movimento estudantil que participou desta ocupação e de outra em 2016, quando a escola também correu o risco de fechar, o corpo de alunos espera que os professores que foram transferidos para outras escolas retornem para a E.E. Professor Lênio Vieira de Moraes.

Ele também diz acreditar que manter a escola aberta implica em não alterar as turmas que estudam na parte da manhã e da tarde. "Vamos acompanhar o que será feito com os alunos e professores que já tinham sido realocados, se for necessário estamos prontos para ocupar a escola novamente e passar o natal lá", afirma.

Saldanha diz que, nesta madrugada, cerca de 20 pessoas compunham a ocupação e mais 60 estavam esperadas até o final da semana. Durante o período dentro da instituição, os estudantes organizaram a sala dos professores e o refeitório, realizaram uma assembleia e começaram a cozinhar as refeições para o dia seguinte.

OUTRO LADO

Questionada a respeito, a Secretaria Estadual de Educação confirma a veracidade do documento obtido pela reportagem e diz que o secretário da educação, Rossieli Soares, irá manter o ensino noturno da unidade.

"Estão garantidas as matrículas dos alunos que queiram permanecer na escola no próximo ano letivo, já que não haverá o fechamento da unidade. A Secretaria da Educação acredita que o diálogo com os alunos e a comunidade escolar é primordial para buscar soluções conjuntas para garantir o direito à educação de qualidade", diz nota.