Após ofensas à capital, Abraham Weintraub recebe título de persona non grata no DF

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
O-ex ministro da Educação, Abraham Weintraub
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

RIO — Após votação realizada nesta quarta-feira na Câmara Legislativa do Distrito Federal, o ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, é considerado persona non grata em Brasília. O título, que demonstra que alguém não é considerado bem-vindo em determinado local, vem em razão das ofensas proferidas por Weintraub contra a capital federal durante reunião ministerial realizada em 22 de abril, em Brasília. A moção é de autoria do deputado distrital Chico Vigilante, do Partido dos Trabalhadores (PT) e foi aprovada por unanimidade.

O texto do documento cita que Weintraub se referiu à capital da República como “porcaria e cancro de corrupção e privilégio”. Na mesma oportunidade, diz o texto, Weintraub disse também que “tinha uma visão extremamente negativa de Brasília.” Mas que “Brasília é muito pior do que ele podia imaginar”.

Na justificativa para aprovar a moção, Vigilante diz ainda que o ex-ministro de Bolsonaro merece o repúdio de toda a sociedade brasileira, e em especial da sociedade brasiliense.

“Brasília não pode se permitir ficar calada diante das agressões sofridas. Por essas razões, com muita justiça, o ex-ministro não merece consideração desta cidade e, agora, é persona non grata”, justificou na moção o deputado.

No texto, o parlamentar torna pública suas considerações a respeito da condução de Weintraub durante o período em este que ficou à frente da pasta da Educação.

“Além de sua pública e notória incompetência na condução das políticas educacionais e da sua completa falta de educação e de respeito à democracia e às instituições, ele também resolveu desmerecer a cidade e seus habitantes”.

Ao GLOBO, o deputado Chico Vigilante reiterou seu sentimento de revolta às palavras ditas por Weintraub durante a reunião ministerial, em especial, o trecho em que o ex-ministro classifica Brasília como “porcaria e cancro de corrupção e privilégio”.

— A maioria dos malfeitos praticados em Brasília são realizados por pessoas de fora, que são eleitas em outros estados. Cabe aos eleitores dos estados eleger melhor quem será enviado para cá. A maioria dos cargos de alto escalão em ministérios, por exemplo, não são ocupados por pessoas de Brasília. A gente só fica com a culpa, com a impressão de que a cidade não presta — lamenta o deputado, após classificar Weintraub como "sujeito desqualificado".

A reportagem tenta contato com o Abraham Weintraub.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos