Após Pacheco avisar Bolsonaro, encontro com Lula é cancelado por problema de 'agenda'

·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — Após a bancada do PT costurar uma reunião do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), o encontro que estava marcado para esta quinta-feira foi cancelado. Segundo assessoria de Lula e senadores petistas, houve uma incompatibilidade de agenda. O ex-presidente deve conversar nesta quinta com embaixadores e o ex-presidente José Sarney. Já a assessoria de Pacheco afirma que o encontro estava apenas "pré-marcado", sem o martelo batido.

O presidente do Senado, no entanto, chegou a mandar um recado a Jair Bolsonaro sobre a conversa. Segundo informou nesta quinta-feira a colunista do GLOBO Bela Megale, auxiliares de primeira ordem do presidente da República relataram que Pacheco deixou claro que a agenda seria “institucional” e que receberia o petista como “chefe de um poder”.

Ao GLOBO, o senador Rogério Carvalho (PT-SE), um dos que tentaram viabilizar o encontro, afirmou que a reunião pode ocorrer em outra oportunidade.

— O presidente Lula tem hoje reunião com várias embaixadas, o Rodrigo Pacheco se disponibilizou a recebê-lo, mas não vai conseguir porque não houve compatibilidade agenda. Então, vai ficar para uma outra oportunidade. Nem eu consegui falar com o ex-presidente - disse o senador.

Ainda segundo a colunista, Bolsonaro disse a interlocutores que Pacheco iria "se prejudicar” se realizasse a reunião com Lula. Petistas afirmam que, na conversa, Lula pretende defender a retomada do auxílio emergencial de R$ 600 durante a pandemia e entregar a Pacheco uma proposta sobre o tema, para que o Congresso lidere a ideia.

Ao GLOBO, a assessoria de Lula afirmou que "o ex-presidente já tinha compromissos marcados para a tarde toda com embaixadores estrangeiros e não tinha como desmarcar".

Lula está em Brasília desde segunda-feira, hospedado em um hotel, onde tem recebido políticos e autoridades. O objetivo do ex-presidente é costurar acordos para a eleição de 2022. O petista já conversou, por exemplo, sobre a eleição do Rio de Janeiro. Manteve reuniões com Marcelo Freixo (PSOL-RJ), Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Alessandro Molon (PSB-RJ), em momentos distintos. A ideia do ex-presidente é derrotar o bolsonarismo em seu seu reduto eleitoral, em uma frente encabeçada por Freixo ao governo do estado. Ainda, há, no entanto, obstáculos políticos e nós a desatar.

Lula também recebeu o presidente do PSD, Gilberto Kassab, e os senadores Otto Alencar (PSD-BA) e Jader Barbalho (MDB-PA). A expectativa é que Lula retorne a São Paulo na sexta-feira.