Após pedido de vista, TCU adia em 20 dias processo da privatização da Eletrobras

·1 min de leitura
Logo da Eletrobras em painel na bolsa de Nova York

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Ana Arraes, anunciou no final da tarde desta quarta-feira a concessão de uma vista pelo prazo de 20 dias do julgamento do processo de privatização da Eletrobras.

"Concedo o prazo regimental de 20 dias para vista coletiva", disse ela.

A decisão foi anunciada após intenso debate de ministros do colegiado sobre o prazo para o adiamento do julgamento, que poderia prejudicar o cronograma considerado ideal pelo governo para realizar a operação ainda no primeiro semestre.

O ministro Vital do Rêgo queria inicialmente um prazo de 60 dias enquanto o colega Jorge Oliveira, que foi ministro do governo do presidente Jair Bolsonaro, propôs um prazo menor, de sete dias.

Em meio à falta de consenso, prevaleceu o prazo de 20 dias, o menor tempo previsto regimentalmente para a interrupção de um julgamento.

(Reportagem de Ricardo Brito e Letícia Fucuchima)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos