Após perder Luhansk, forças ucranianas se agrupam para defesa de Donetsk

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Fumaça sobe após ataque de artilharia em Donetsk, na Ucrânia
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Tom Balmforth e Max Hunder

KIEV (Reuters) - Forças russas estavam mirando seus próximos objetivos na província de Donetsk, no leste da Ucrânia, nesta terça-feira, depois que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, proclamou vitória na província vizinha de Luhansk, e a guerra de cinco meses entrou em uma nova fase.

A captura da cidade de Lysychansk no domingo completou a conquista russa de Luhansk, uma das duas regiões de Donbas, a região industrializada do leste da Ucrânia que se tornou o local da maior batalha na Europa em gerações.

Ambos os lados sofreram pesadas baixas na luta por Luhansk, particularmente durante o cerco às cidades-gêmeas de Lysychansk e Sievierodonetsk. Os dois municípios ficaram em ruínas após o implacável bombardeio russo.

"A cidade não existe mais", disse Nina, uma jovem mãe que fugiu de Lysychansk para se refugiar na cidade central de Dnipro.

"Está praticamente varrida da face da Terra. Não há centro de distribuição de ajuda humanitária, foi atingido. O prédio que abrigava o centro não existe mais. Assim como muitas de nossas casas."

As forças ucranianas assumiram na terça-feira novas linhas defensivas em Donetsk, onde ainda controlam as principais cidades, enquanto Putin disse a suas tropas para "descansar absolutamente e recuperar sua preparação militar", conforme unidades em outras áreas continuam lutando.

As forças russas bombardearam as cidades de Sloviansk e Kramatorsk durante a noite, de acordo com Pavlo Kyrylenko, governador de Donetsk.

"Elas agora também são a principal linha de ataque do inimigo", disse ele sobre as cidades. "Não há lugar seguro sem bombardeios na região de Donetsk."

Desde o início do conflito, a Rússia exigiu que a Ucrânia entregasse Luhansk e Donetsk aos separatistas pró-Moscou, que proclamaram Estados independentes.

"Esta é a última vitória da Rússia em território ucraniano", disse Oleksiy Arestovych, assessor do presidente Volodymyr Zelenskiy, em um vídeo publicado online.

"Eram cidades de tamanho médio. E isso levou de 4 de abril a 4 de julho - são 90 dias. Tantas perdas."

Arestovych afirmou que além da batalha por Donetsk, a Ucrânia espera lançar contraofensivas no sul do país.

"Tomar as cidades do leste significa que 60% das forças russas estão agora concentradas no leste e é difícil para eles serem redirecionados para o sul", disse ele.

"E não há mais forças que possam ser trazidas da Rússia. Eles pagaram um alto preço por Sievierodonetsk e Lysychansk."

Alguns especialistas militares consideraram que a vitória duramente combatida trouxe pouco ganho estratégico às forças russas, e o resultado do que foi apelidado de "batalha de Donbas" permanecia na balança.

"Acho que é uma vitória tática para a Rússia, mas com um custo enorme", disse Neil Melvin, do instituto RUSI em Londres. Ele comparou a batalha às enormes lutas por escassos ganhos territoriais que caracterizaram a Primeira Guerra Mundial.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos