Após polêmica em 2022, Djokovic retorna ao Australian Open com vitória e favoritismo

Um ano após ter sido alvo de uma polêmica às vésperas do Aberto da Austrália, por não estar vacinado contra o Covid-19, o sérvio Novak Djokovic retornou à competição em grande estilo. Com uma vitória por 3 sets a 0 sobre o espanhol Roberto Carballes Baena, com parciais 6-3, 6-4 e 6-0.

O tenista, ex-número 1 do mundo e atualmente em 5º no ranking ATP, chega com o status de favoritismo destacado em busca de levantar sua décima taça em solo australiano. Nesta temporada, Djokovic já conquistou o torneio de Adelaide, seu primeiro título, também na Austrália

Com a vitória sobre Carballes, Djokovic alcançou a marca de 64 vitórias consecutivas nas partidas de primeira rodada de Grand Slam — o que é equivalente a 16 anos seguidos sem perdas na estreia. Este foi o segundo confronto da história entre o sérvio e o espanhol, o primeiro foi no US Open de 2019, com o mesmo placar de hoje.

Com a lesão no joelho direito do tenista australiano Nick Kyrgios, o caminho de Novak Djokovic também fica um pouco menos complicado. A expectativa era que ambos se encontrassem em um grande duelo nas quartas de final. E muitos acreditavam que Nick, um dos tenistas com maior potencial do circuito, era um forte candidato a eliminar Nole antes da final.

Australian Open 2022

No último Aberto da Austrália, Djokovic foi definitivamente banido de disputar o torneio e ficou com seu visto cancelado, por não estar vacinado contra a Covid-19. O sérvio também foi deportado, impedido de entrar no país até 2025 e ainda teve que arcar com os custos do julgamento, que durou quase nove horas.

Na época, o ministro dos Serviços a Imigrantes, Alex Hawke, cancelou de imediato o visto de Novak Djokovic por ele não estar vacinado. O tenista, então, entrou com um recurso para permanecer na Austrália a fim de reverter a decisão e conseguir participar do torneio e buscar o recorde de 21 títulos no Grand Slam, mas sem sucesso.

Durante o julgamento, o advogado do governo australiano Stephen Lloyd argumentou que a presença de Djokovic na Austrália poderia influenciar outras pessoas a não se vacinarem por se tratar de uma celebridade. Já que na visão de Lloyd, o tenista estava endossando uma visão antivacina.

O que mudou para 2023?

Em julho de 2022, a Austrália descartou uma regra que exigia que viajantes internacionais declarassem seu status de vacinação contra a Covid, e Djokovic disse em outubro que havia recebido "sinais positivos" sobre o status dos esforços para derrubar sua proibição.

O novo ministro da Imigração da Austrália, Andrew Giles, também revogou a decisão de seu antecessor, Alex Hawke, que cancelou o visto do tenista sérvio alegando, entre outras coisas, que ele não deveria pisar em solo australiano porque deveria ser considerado um risco à saúde e à ordem da comunidade durante um momento em que a Austrália não permitia a entrada de visitantes não-vacinados contra covid-19.

Esses dois fatores possibilitaram que Djokovic participasse do torneio em 2023. O tenista sérvio foi campeão do Aberto da Austrália em 2008, 2011, 2012, 2013, 2015, 2016, 2019, 2020 e 2021, recorde da competição.