Após provocação de Paes, prefeito de Encantado diz que Cristo Protetor é erguido sem dinheiro público e quer prefeito do Rio na inauguração

Marjoriê Cristine
·4 minuto de leitura

RIO — A cidade de Encantado, localizada no Vale do Taquari, no Rio Grande do Sul, ganhou destaque internacional com a construção do Cristo Protetor, uma estátua que terá 43 metros de altura e que foi inspirada no Cristo Redentor, no Rio, que possui 38 metros e é uma das Sete Maravilhas Modernas do mundo. Após Eduardo Paes provocar que o município gaúcho não terá a vista da Cidade Maravilhosa, o prefeito Jonas Calvi respondeu, de forma humorada, que Encantado tem também os seus encantos. A obra começou a ser erguida em 2019, com o então prefeito Adroaldo Conzatri, que morreu no mês passado, mas não tem recursos públicos. Segundo o atual chefe do município, todo o dinheiro arrecadado vem de doações da população e de empresários.

Quem organiza essa coleta para bancar a obra orçada em R$ 2 milhões é a Associação Amigos do Cristo, de Encantado. A ideia original veio do padre João Granzotto, um pároco na cidade, que sentiu a necessidade de ter uma imagem que pudesse proteger a localidade. Alguns empresários doaram o terreno onde foi erguida a estrutura e, logo a população e empresários começaram a bancar o andamento da obra.

— Esse monumento todo está sendo construído sem nada de recursos públicos. Sem dinheiro da prefeitura, do estado, de emendas, sem financiamento. É todo feito pela comunidade. É o povo que está construindo a obra. Muitas pessoas fazem doações, com R$ 50, R$ 100, o que conseguem ajudar. Os empresários dão um valor maior, mas tudo chega diretamente numa conta criada pela Associação Amigos do Cristo. São eles que estão organizando e à frente dessa arrecadação — explica o prefeito gaúcho.

O Cristo Protetor é feito de concreto ferro no alto do Morro das Antenas, às margens da Lagoa de Garibaldi, aberta na década de 1920 para construção de uma hidrelétrica que gerou energia para cidade. A vista não é para as praias da Zona Sul, para Baía de Guanabara ou para Lagoa Rodrigo de Freitas, como Eduardo Paes provocou em uma postagem no último sábado. No entanto, é possível ter uma vista inteira da cidade de Encantado e do Vale do Taquari, uma região muito conhecida e visitada nos Pampas. Calvi foi surpreendido com toda repercussão gerada pelo comentário do prefeito do Rio, mas aproveitou a brecha para convidá-lo para inauguração.

A previsão é que a obra fique pronta até o fim do ano de 2021, mas tudo depende do clima. Nessa época, o outono gaúcho é mais chuvoso e úmido, assim como o inverno. Então, as condições climáticas vão determinar o andamento. A parte estrutural está 70% pronta, enquanto a parte escultural está em 30% finalizada. A escultura é feita por um artista cearense Marcos Moura.

— Foi uma grande surpresa toda essa repercussão. Nós, gaúchos, temos o perfil de que, se um não quer, dois não brigam. Não queremos competir e nem nos comparar com o Rio de Janeiro. O Rio todo mundo conhece, tem todos os atrativos maravilhosos. Nós só queremos construir o nosso Cristo, mostrar a nossa população e ao nosso estado que é hospitaleiro, que temos uma cultura forte, e dá a possibilidade de mostrar que o nosso Cristo Protetor está de braços abertos para quem quiser visitá-lo. Entramos na brincadeira (com o Paes). Queremos muito que o Paes esteja presente na inauguração. Eu vou fazer um ofício formal quando a obra estiver pronta. Será um prazer recebê-lo aqui — afirma Calvi.

Brincadeiras nas redes sociais

A história do Cristo Protetor viralizou nas redes sociais e foi parar na imprensa internacional, como a rede britânica "BBC" e jornal inglês "The Sun", que noticiaram o fato. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, reagiu com ironia a ela no Twitter. Depois, para entrar na onda da zoação, Jonas Calvi rebateu na mesma rede social, mas sem aumentar a polêmica: "O Rio de Janeiro continua lindo e o mundo inteiro conhece. Agora venham conhecer o Cristo Protetor de Encantado". Ao GLOBO, o prefeito de Encantado brincou que chegaram muitas sugestões para ele criar outros pontos turísticos na cidade, semelhantes aos da Cidade Maravilhosa.

— O pessoal comentou muito nas nossas redes sociais e sugeriu outras coisas. O Rio tem o Pão de Açúcar e a gente poderia criar o "Cacetinho de Açúcar". O DJ Alok casou nos braços do Cristo, e temos um nosso DJ famoso aqui para fazer o mesmo (risos). Temos o Rio Taquari e sugeriram salgar e acoplar ondas para termos o mar do Rio. Já a Lagoa Garibaldi a gente tinha que transformar na Lagoa Rodrigo de Feitas. A criatividade é bem alta... Nesse momento de pandemia que vivemos, a gente leva na brincadeira para a vida ficar menos pesada — destaca o prefeito da cidade gaúcha.