Após quase 7h de viagem, Fluminense desembarca em Bogotá e aguarda Conmebol para definir logística

Marcello Neves
·2 minuto de leitura

Após quase 7h de viagem, o Fluminense chegou na Colômbia para a disputa da 2ª rodada da fase de grupos da Libertadores. No entanto, já terá que viajar novamente. A delegação tricolor desembarcou por volta de 22h25 no Aeroporto Internacional El Dorado, em Bogotá, e aguarda a confirmação da Conmebol para troca de sede para rumar a Armenia, cidade a 280 km da capital colombiana.

Uma das possibilidades é que o Fluminense vá de ônibus. A viagem é de 280 km, porém muito cansativa. O trajeto deve levar entre 6h e 7h, ao todo, pois se trata de uma região montanhosa e uma estrada com muitas curvas e velocidade reduzida.

A Conmebol aguarda os documentos para oficializar a mudança. A troca afeta a logística do Fluminense, que embarcou a Bogotá nesta segunda, às 15h30 (de Brasília). De lá, terá de encontrar a melhor maneira para se locomover até a cidade de Armênia, que fica a 280km da capital colombiana. Antes da viagem, o clube informou que manteve "a programação estipulada em protocolo da Conmebol" e treinou normalmente pela manhã.

Inaugurado em 1988, o Estádio Centenário tem capacidade para 29 mil torcedores e é considerado moderno para os padrões atuais. Também é a casa do Deportes Quindío e foi uma das sedes da Copa América 2001 e do Campeonato Sul-Americano de Futebol Sub-20 de 2005. No ano passado, o zagueiro Nino disputou o Pré-Olímpico no local.

A mudança de local ocorre após o "decreto 157", que visa controlar o avanço da Covid-19 em Bogotá, ser publicado. A alcadía Claudia López Hernández, se reuniu com a Conmebol e informou à entidade, ao Santa Fe e à La Equidad (que disputa a Copa Sul-Americana) que eventos esportivos não poderão ser realizados na capital durante esta semana.

A Federação Colombiana tentou conversar com o governo local para mudar a posição, mas não foi possível. Com isso, iniciou-se uma corrida para determinar um novo local para os jogos da Libertadores e da Copa Sul-Americana. Além do Santa Fe, a La Equidad enfrentaria o Aragua na capital.

A primeira tentativa foi a cidade de Tunja, a 130 km de Bogotá, mas o prefeito Alejandro Fúneme, não deu sinal verde para realizar as partidas devido ao alto índice de ocupação das Unidades de Terapia Intensiva (UTI). Manizales, a 290 km da capital, se tornou o plano B, mas acabou recusando a possibilidade pelo mesmo motivo.

Pereira, a 343 km de Bogotá, e Armênia despontaram como favoritas, mas a segunda opção foi escolhida pelo baixo custo de locomoção e operacional para realizar jogos no estádio. Pereira receberá La Equidad x Aragua, pela Copa Sul-Americana.