Após queda e estabilidade, taxa de ocupação dos leitos de UTI volta a subir em SP

·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após dois meses em queda e pouco mais de duas semanas em estabilidade, a taxa de ocupação dos leitos de UTI (Unidades de Terapia Intensiva) para Covid-19 voltou a subir no estado de São Paulo, de acordo com dados do governo paulista.

Nesta quarta-feira (19), o estado tem 79,1% dos leitos ocupados. Na quarta passada (12), eram 78,2% e duas semanas atrás (5), 78,3%.

Na região metropolitana da capital o aumento é menor. Hoje, a lotação está em 76,9%, contra 76,4% da semana passada e 76,3% da quarta retrasada.

O crescimento é reflexo da desaceleração do ritmo de queda internações nos hospitais paulistas e do aumento no número de casos no estado, que na última semana teve média diária de 12,9 mil pessoas infectadas, número 10% maior que a média móvel da primeira semana de maio.

São Paulo registrou 747 mortes por Covid-19 nesta quarta-feira, chegando a 105.852 óbitos pela doença. Até agora, são mais de 3,1 milhões de casos confirmados, com a taxa de letalidade em 3,4%. No país, a taxa está em 2,8%.

O isolamento social, por outro lado, permaneceu o mesmo. Nesta terça-feira (18), a média foi de 41%, um ponto percentual a mais do que o registrado na terça passada (11), com 40%, e o mesmo valor da semana retrasada (4), com 41%.

O trânsito também não teve mudanças significativas. Mas o número de pessoas nos ônibus da cidade apresentou um leve aumento.

Segundo dados da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), a média foi de 68 quilômetros de lentidão nesta terça-feira, contra 65 quilômetros na semana passada e 69 quilômetros de congestionamento duas semanas atrás.

Nos ônibus, cerca de 1,86 milhão de pessoas circulavam na terça-feira, enquanto na semana passada eram 1,9 milhão e na retrasada, 1,87 milhão.

Foram registrados aproximadamente 6,3 milhões de carros nas ruas da capital nas últimas três terças-feiras.