Após reação, Merkel desiste de lockdown mais rígido durante a Páscoa

Holger Hansen
·1 minuto de leitura
Merkel participa de sessão no Parlamento em Berlim

Por Holger Hansen

BERLIM (Reuters) - A chanceler Angela Merkel abandonou o plano acordado na terça-feira de estender o feriado de Páscoa na Alemanha, na tentativa de quebrar uma terceira onda da pandemia do coronavírus, pedindo desculpas aos alemães cansados do confinamento após a medida concebida apressadamente desencadear uma grande reação.

Em reuniões que ocorreram na madrugada de terça-feira, Merkel e os governadores dos 16 Estados da Alemanha concordaram em pedir aos cidadãos que ficassem em casa por cinco dias durante o feriado da Páscoa, declarando os dias 1 e 3 de abril como "dias de descanso" extras.

“A ideia de uma paralisação na Páscoa foi planejada com a melhor das intenções. Precisamos urgentemente parar e reverter a terceira onda da pandemia”, disse Merkel.

Mas não foi possível implementar as medidas acordadas às pressas tão rapidamente, disse Merkel, e se desculpou pela incerteza que a decisão havia gerado para os alemães.

Seus comentários acontecem em um cenário de crescente frustração pública com o governo conservador pela lenta implementação das vacinas contra a Covid-19 e as medidas de ampliação do lockdown.

(Reportagem de Holger Hansen, Andreas Rinke, Paul Carrel, Thomas Escritt; Paul Carrel e Maria Sheahan)

REUTERS PVB MPP