Após recusa de estilistas, Miss Beleza Trans Brasil desfila looks poderosos no Miss Universo e já é uma das favoritas ao título

Foram dois anos de espera até que Eloá Rodrigues finalmente cruzasse o oceano para estar entre as mulheres trans mais belas do mundo. Miss Beleza T Brasil, ela representa o país no Miss Queen International, uma espécie de Miss Universo Trans, cuja final será neste sábado, 25, na Tailândia.

Por pouco, ela quase não consegue patrocínio para levar na mala as roupas que precisa usar nos diversos eventos do concurso. Muitos estilistas e marcas recusaram associar seus nomes ao concurso. A própria Eloá, que nasceu em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, contou isso em suas redes sociais. "Muitas pessoas e marcas não acreditam de fato no projeto ou não querem atrelar sua imagem a uma pessoa como eu", avalia.

Num lindo pivô, no entanto, a miss está arrasando com os 30 looks que levou, poderosos e glamourosos. Tanto que nas bolsas de apostas dos missólogos, ela já aparece como uma das favoritas ao título.

Principalmente após o desfile de traje típico, em que usou um manto inspirado em Nossa Senhora Aparecida, o que irritou alguns fiéis que a atacaram no Instagram, e depois da entrevista. Eloá foi contundente em traçar um panorama do Brasil, onde se mata mais pessoas LGBTQIA+, narrando os movimentos de inclusão de pessoas como ela, principalmente as negras e periféricas.

Estudante de Ciências Sociais na Universidade Federal Fluminense, modelo e atriz, Eloá trabalhou no almoxarifado de uma empresa de ônibus. Hoje, representa muito mais do que um sonho para pessoas que se identificam com ela, a possibilidade de escolha:

"Quero mostrar que não foi fácil chegar até aqui, mas que é possível".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos